(SVS - VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA) EQUIPE


O Departamento de Vigilância Epidemiológica – DEVE(Chefia: Inês Vian, vian@sesa.pr.gov.br):, da estrutura central da SESA-PR, tem como objetivo planejar, coordenar, acompanhar e organizar as atividades de vigilância epidemiológica das áreas que envolvem a vigilância epidemiológica e controle de doenças transmissíveis agudas e inusitadas; a vigilância de agravos e doenças não transmissíveis; a vigilância epidemiológica dos óbitos maternos e infantis e assessoria aos respectivos comitês; a operacionalização do Programa Estadual de Imunizações e dos sistemas de informações em saúde.

Muitas das ações/atividades desenvolvidas nessas áreas não são novas, porém, a todo o momento algo inédito pode surgir e:

  • desequilibrar a estrutura epidemiológica, modificando o comportamento de uma doença considerada sob controle, mas ainda presente em nosso meio;
  • fazer ressurgir uma doença/agravo já eliminado;
  • fazer surgir doenças/agravos existentes em outros continentes ou, doenças novas, ainda não identificadas no mundo.

Um dos grandes desafios da Epidemiologia é, portanto, manter o alto padrão de vigilância, vacinações e informações dos programas que já atingiram um patamar de excelência, bem como a manutenção da qualidade e consistência dos sistemas de informação, em todos os níveis de gestão do SUS, para que os mesmos possam exercer o real objetivo da epidemiologia que é o de informar para agir.
O DEVE é formado por 4 Divisões:

  • Divisão de Vigilância de Doenças TransmissíveisDVVTR - que coordena, presta apoio técnico e tem ação complementar na execução da vigilância epidemiológica e controle das doenças transmissíveis agudas e inusitadas. Corresponde à Divisão de Vigilância Epidemiológica de Doenças Transmissíveis do extinto Departamento de Doenças Imunopreveníveis do CIDS.
Chefia Divisão de Vigilância de Doenças Transmissíveis – DVVTR : Nilce Haida, Marlene Wille marlenewille@sesa.pr.gov.br, Gisleine , Maria de Lourdes Silva
  • Divisão de Vigilância das Doenças Não Transmissíveis – DVDNT É uma nova Divisão, sem correspondente na estrutura anterior, que tem como objetivo consolidar a implantação da vigilância das doenças não transmissíveis - DANT, entendendo-se como um conjunto de ações que possibilita conhecer a distribuição, a magnitude e a transcendência de doenças/agravos e seus fatores de risco, gerenciando, ainda, o Sistema de Informação de Registro Hospitalar de Câncer localizado nos Hospitais que são Centro de Alta Complexidade em Oncologia.
Chefia Divisão de Vigilância das Doenças Não Transmissíveis – DVDNT: Alice Eugênia Tisserant alicet@sesa.pr.gov.br, Emerson Luiz Peres, Rosana Ribeiro Calligaris
  • Divisão da Vigilância do Programa Estadual de Imunizações – DVVPI - que gerencia técnica e operacionalmente a vacinação de rotina, em campanhas, as intensificações, os imunobiológicos especiais, a vacinação de grupos especiais, bloqueios e conta com seis sistemas de informações específicos. Corresponde à Divisão do Programa Estadual de Imunizações do mesmo Departamento do antigo CIDS.
Chefia Divisão da Vigilância do Programa Estadual de Imunizações – DVVPI: Beatriz Thiel beatrizthiel@sesa.pr.gov.br
  • Divisão de Informações EpidemiológicasDVIEP - que coordena o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN), o Sistema de Informação de Mortalidade (SIM) e o Sistema de Informação de Nascidos Vivos (SINASC) e assegura que o conjunto de instrumentos de coleta de informações (fichas de notificação e investigação de agravos, declarações de nascimentos e de óbitos, boletins de atendimento, etc.) seja adequadamente preenchido, gerando dados seguramente registrados e armazenados, nos prazos estabelecidos para o fluxo dos mesmos, até o processamento, consolidação, análise, retroalimentação e difusão deles, nos três níveis de gestão. Nesta divisão está a Vigilância da Mortalidade Materna e Infantil que também presta assessoria técnica e operacional a seus respectivos Comitês e operacionaliza seus sistemas de informações específicos. Também é responsável pela edição do Boletim Epidemiológico Estadual, com 2 a 4 edições/ano. Corresponde aos extintos Departamentos do Sistema de Informação – DDI e à Vigilância Epidemiológica de Mortalidade Materna e Infantil do CIDS.
  • Chefia Divisão de Informações Epidemiológicas – DVIEP: Raul Junior Bely sinannet@sesa.pr.gov.br
    Equipe DVIEP: Ayako Matono Casagrande, Paulo Collodel Junior, Cleia Beatriz Garcia Lazzarotto, Elenice Torres Rita, Vera Cristina Widerhoff, Nelson Ricetti de Nazareno, Jose luiz de Aben Athar, Terezinha Leiko Watanabe e João Edson Borba Taques.

Embora operacionalmente as ações de vigilância epidemiológica sejam desenvolvidas de modo articulado entre diversos setores, são elaborados planos específicos que permitem monitorar e avaliar o desenvolvimento de cada etapa e detectar prioridades.

São os seguintes:

    1. Plano de Erradicação da Poliomielite
    2. Plano de Erradicação do Sarampo.
    3. Plano de Eliminação da Síndrome da Rubéola Congênita.
    4. Plano de Eliminação do Tétano Neonatal
    5. Plano de Controle do Tétano, Difteria e Coqueluche.
    6. Plano de Controle das Meningites.
    7. Plano de Vacinação de Rotina.
    8. Plano de Vacinação de Campanhas.
    9. Plano de Intensificações de Vacinação.
    10. Plano de Vigilância de Efeitos Adversos de Vacinação.
    11. Plano de Conservação dos Imunobiológicos.
    12. Planos dos Sistemas de Informações em Imunizações – seis sistemas
    13. Plano de Vacinação com os Imunobiológicos Especiais
    14. Plano de Vacinação a Grupos Especiais.
    15. Plano de Vacinação de bloqueio e quimioprofilaxia.
    16. Plano de monitorização dos Sistemas de Informação (SIM, SINAN, SINASC, SIS-RHC, MORMATER, SIMI)
    17. Plano da Vigilância Epidemiológica da Mortalidade Materna
    18. Plano da Vigilância Epidemiológica da Mortalidade Infantil.
    19. Plano da Vigilância Epidemiológica das Doenças e Agravos Não Transmissíveis.
    20. Plano da Vigilância Epidemiológica da Varicela.
    21. Plano da Vigilância Epidemiológica da Febre do Nilo.
    22. Plano da Vigilância Epidemiológica Hospitalar.
    23. Plano de reestruturação da Informação do Banco de Dados.
Recomendar esta página via e-mail: