(VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA - SISTEMAS DE INFORMAÇÃO) SINASC


No Paraná, a vigilância epidemiológica dos nascidos vivos em geral é um evento de notificação compulsória nos 399 municípios (100% do Estado) e é praticada através do Sistema de Informação de Nascidos Vivos (SINASC), sistema padrão do Ministério da Saúde (MS). As fontes de notificação são os hospitais, as maternidades, 650 cartórios, além dos municípios e Regionais de Saúde (RS), registrando anualmente em torno de 150.000 nascimentos.
O trabalho de análise de dados sobre os nascidos vivos subsidia a epidemiologia na implantação de políticas de saúde e permite o resgate de subnotificações, por meio do cruzamento de informações com outros sistemas (SIAB, SHI, SIMI) e varredura nos locais de captura das declarações de nascidos vivos (cartórios, hospitais, igrejas, meios de comunicação). Tem a finalidade de obter um diagnóstico real da situação no Paraná.
Em média, são registrados 150.000/nascidos vivos/ano e analisados 100% das DNs quanto à consistência e completitude, encaminhando-se relatório às respectivas secretarias municipais para as correções necessárias. Há necessidade de desenvolver cursos de operacionalização do SINASC no Estado visando diminuir o percentual de erros verificados.
Quanto ao fluxo da declaração de nascidos vivos, são digitadas nas secretarias municipais de saúde diariamente e enviadas às RS. Municípios com volume igual ou maior que 60 eventos/mês transmitem semanalmente, entre 59 e 10 eventos/mês a cada 15 dias e com 09 ou menos eventos/mês transmitem 01 vez por mês. Das RS para o nível central a transmissão é semanal e do nível central para o MS a cada 03 meses, conforme Portaria.
O Estado do Paraná tem 100% de regularidade em relação ao envio trimestral para o MS, 100% de regularidade em relação ao envio de dados das RS para o Estado e 90% de regularidade em relação ao envio de dados dos municípios para as Regionais. Nestes casos, os fatores principais para quebra da regularidade são atribuídos a problemas técnicos com microcomputadores e troca de operadores nos municípios.
Recomendar esta página via e-mail: