VIOLÊNCIA INTERPESSOAL E AUTOPROVOCADA

A Violência assume a condição de um dos principais problemas para a saúde pública em função de sua magnitude, gravidade, vulnerabilidade e impacto social sobre a saúde individual e coletiva. Manifesta-se especialmente na mortalidade precoce, na diminuição da expectativa e da qualidade de vida de adolescentes, jovens, adultos e idosos. Em 2014 foi revisada a Política Nacional de Promoção da Saúde e foi publicada a Portaria nº 2.446 de 11 de novembro, reafirmando como uma das prioridades o enfrentamento das violências.

Entre os objetivos dessa Política estão a promoção da equidade, da intersetorialidade, da territorialidade, a participação social e a melhoria das condições e dos modos de viver, reduzindo vulnerabilidades e riscos à saúde decorrentes dos determinantes sociais, econômicos, políticos, culturais e ambientais. Reafirma ainda, o compromisso com a promoção da cultura da paz e do desenvolvimento humano seguro, saudável e sustentável. No Estado do Paraná o Plano Estadual de Vigilância de Violências e Acidentes (VIVA-PR), incentiva o desenvolvimento dessa vigilância nos municípios do Paraná favorecendo a monitorização dos eventos de causas externas no estado.

Implementando a vigilância, prevenção das violências e promoção da cultura da Paz, com ênfase na integração das ações de vigilância, Promoção e Prevenção de violências com a atenção em Saúde, através da notificação da violência doméstica, sexual e/ou outras violências e no desenvolvimento da promoção da saúde relacionada à prevenção às violências, envolvendo linhas de ações previstas na Política Nacional de Promoção da Saúde (PNPS).

DADOS EPIDEMIOLÓGICOS

MANUAIS/INSTRUTIVOS

MODELOS

NOTAS TÉCNICAS


PUBLICAÇÕES

PLANOS

LEGISLAÇÕES

Recomendar esta página via e-mail: