Busca Saúde

SISTEMA DE VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL SISVAN – PARANÁ


VIGILÂNCIA NUTRICIONAL NOS MUNICÍPIOS PARANAENSES


O Sistema de Informação sobre Vigilância Alimentar e Nutricional - SISVAN, tem como objetivo descrever o diagnóstico da situação nutricional, predizer de maneira contínua tendência das condições de nutrição e alimentação de uma população e seus fatores determinantes, com fins de planejamento e avaliação de políticas, programas e intervenções. Tem também o objetivo de avaliar o estado nutricional de indivíduos para obter o diagnóstico precoce dos desvios nutricionais, seja baixo peso ou sobrepeso/obesidade, evitando as conseqüências decorrentes desses agravos à saúde.

A implantação do SISVAN na rede estadual básica de saúde do Paraná iniciou-se no 2º semestre de 1994, tendo como grupo alvo crianças menores de cinco anos e gestantes. A partir do 2º semestre de 2003 foi ampliada a faixa etária de crianças com o seu estado nutricional monitorado, para 83 meses.

O Paraná figura entre os estados brasileiros, piloto no processo de informatização do SISVAN, porém a base do banco de dados do sistema continua, ainda, sendo também alimentada a nível estadual pela Coordenação de Vigilância Nutricional – COVN/SESA.

O propósito da Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, através da COVN - PR, de subsidiar e agilizar o processo de implantação/implementação do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional - SISVAN no Estado, permite após decorridos 7 anos de sistema padronizado e com base nas informações geradas pelos profissionais de saúde em nível local, conhecer o perfil nutricional de crianças e gestantes que freqüentam os serviços de saúde do SUS, comparar o diagnóstico da situação nutricional nos diferentes anos, monitorar crianças e gestantes em risco nutricional direcionando-as aos programas de saúde vigentes no Estado e contribuir para uma melhor articulação de ações intersetoriais visando, assim, minimizar os agravos nutricionais.

Gráfico 1: Cobertura do Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional - SISVAN, nos municípios paranaenses, período de 1999 a 2005.


Fonte: SESA / ISEP / DSS / COVN - PR

Essa cobertura pode ser atribuída a importante sensibilização que vêm sendo promovida pela Coordenação de Vigilância Nutricional, através da construção do SISVAN na perspectiva da informação/construção de indicadores/planejamento/ação = ATITUDE DE VIGILÂNCIA.

ANÁLISE COMPARATIVA DOS DADOS DO SISTEMA DE VIGILÂNCIA ALIMENTAR E NUTRICIONAL - SISVAN, NO PERÍODO DE 1999 a 2005.

A seguir, estão sistematizadas as informações geradas por esse sistema, descrevendo o perfil nutricional de crianças menores de 5 anos e gestantes atendidas na rede básica de saúde, no período de 1999 a 2005. Embora a partir de 2003 a população de crianças com o seu estado nutricional monitorada tenha sido ampliada para 7 anos, para efeito de comparação com os anos anteriores (1999 a 2002) serão utilizados os dados de crianças menores de 5 anos.

É também importante salientar, que os dados do SISVAN anteriores ao ano de 1999 não tinham padronizados através de norma técnica específica, o processo de coleta, processamento e análise de dados e informações, desta forma não permitindo a comparação dos dados.

As informações apresentadas foram coletadas por profissionais de saúde na rotina de atendimento e consolidadas mensalmente, referindo-se aos atendimentos realizados em menores de 5 anos e gestantes nas unidades básicas de saúde. Devemos ressaltar que os dados se referem à primeira consulta do ano, ou seja, primeiro diagnóstico nutricional de cada criança, sendo que os resultados apresentados não se baseiam em atendimentos mensais, o que significa que uma criança não foi cadastrada no sistema todas as vezes em que ela foi atendida.

Nos serviços de saúde, o instrumento utilizado para o diagnóstico do estado nutricional de crianças é a Carteira de Saúde da Criança, cujo gráfico de crescimento apresenta o índice peso/idade (P/I), com pontos de corte em percentis da população de referência (NCHS) de 3, 10 e 97, gerando quatro faixas de percentil, descritas a seguir:
- Acima de P97: Sobrepeso
- Entre P10 e P97: Normal
- Entre P10 e P3: Risco Nutricional
- Abaixo de P3: Baixo Peso

Em relação às gestantes, os dados aqui apresentados foram coletados utilizando como instrumento para o diagnóstico nutricional a Curva de Rosso, através da qual as gestantes são classificadas de acordo com as áreas:
- A: Baixo Peso
- B: Normalidade
- C: Sobrepeso

Estado Nutricional de Crianças de 0 a 5 anos

Gráfico 2: Percentual de risco nutricional e baixo peso, para Peso/Idade, em crianças menores de 5 anos, usuárias das unidades básicas de saúde dos municípios com o SISVAN implantado, período de 1999 a 2005.

Fonte: SESA / ISEP / DSS / COVN – PR
Nota: população estudada –
1999: n=278.336;
2000: n=434.390;
2001: n=382.465;
2002: n=588.320;
2003: n=625.855;
2004: n=613.155;
2005: n=536.528

Quanto aos perfis nutricionais observados no período de 1999 a 2005, destacam-se os resultados descritos a seguir:

O perfil de crianças menores de 5 anos apresentou uma redução significativa nos indicadores de risco nutricional e baixo peso de 2001 a 2005 (18,5% para 12,8%) – Gráfico 2.


Gráfico 3: Percentual de risco nutricional e baixo peso, para Peso/Idade, em crianças menores de 5 anos, segundo faixa etária, usuárias das unidades básicas de saúde dos municípios com o SISVAN implantado, 1999 a 2005.


Fonte: SESA / ISEP / DSS / COVN - PR

Na distribuição do déficit nutricional segundo faixa etária, observou-se maior proporção de déficit na faixa de 12 – 23 meses, sendo também relevante nas crianças entre 24 – 35 meses. Já a população menos acometida em todos os anos foi o de crianças entre 0 e 6 meses de idade.

Este resultado indica que o déficit nutricional é maior no período que corresponde à introdução da alimentação complementar, a partir dos seis meses de idade e, a consolidação de uma alimentação variada.

Já, as ações básicas de saúde como o acompanhamento do crescimento e desenvolvimento, a imunização e, especialmente o incentivo e à promoção do aleitamento materno, combinadas as demais ações de assistência à saúde da criança, colaboraram significativamente nos resultados favoráveis aqui apresentados, refletindo assim, na melhoria das condições de saúde e nutrição infantil.

Estado Nutricional de Gestantes

Gráfico 4: Percentual de baixo peso e sobrepeso em gestantes, usuárias das unidades básicas de saúde dos municípios com o SISVAN implantado, 1999 a 2005.


Fonte: SESA / ISEP / DSS / COVN – PR


O perfil nutricional de gestantes apresentou uma variação de 1,2% para mais no indicador de baixo peso de 1999 a 2002, com uma redução significativa no seu percentual de 2003 a 2005 (23,2% para 20,7%). Com relação ao sobrepeso após uma oscilação do indicador até o ano de 2002, percebeu-se uma tendência de aumento acentuado a partir do ano de 2003 (21,2% para 25,4%).

Os resultados encontrados indicam a necessidade de se estabelecer estratégias para a captação precoce das gestantes na rede básica de saúde, com o intuito de se promover o ganho de peso adequado durante a gestação, uma vez que a desnutrição na gestação predispõe o nascimento de crianças com baixo peso e por outro lado o sobrepeso neste período, encontra-se associado a doenças como diabetes melitus e hipertensão arterial.

Conclusões:

A análise desta série histórica do SISVAN/Paraná traz informações importantes que permitem nortear as ações da Secretaria de Estado da Saúde quanto ao perfil nutricional da população. Observa-se uma redução no percentual de crianças menores de 5 anos em risco nutricional e baixo peso, bem como uma redução do percentual de gestantes com baixo peso, e um aumento do sobrepeso a partir do ano de 2003.

Considerando os perfis nutricionais aqui apresentados, fica evidenciado que as informações produzidas pelo SISVAN, vêm contribuindo para a análise das causas e fatores associados aos problemas nutricionais, permitindo assim, articular ações de alimentação e nutrição e intervenções mais efetivas para a melhoria da qualidade de vida da população materno-infantil. 

Recomendar esta página via e-mail: