Notícias da SESA

23/04/2014

Todos os municípios paranaenses estão abastecidos com a vacina contra a gripe

saO Governo do Paraná já abasteceu todos os municípios do Estado com as doses da vacina contra a gripe. Nesse segundo dia da Campanha de Vacinação, os paranaenses que procuraram os postos e unidades de saúde puderam ser vacinados sem qualquer empecilho. A vacinação acontece conforme previsto pela Secretaria da Saúde e segue até 9 de maio, quando termina a campanha.

“É importante que todas as pessoas que têm direito à vacina da gripe sejam imunizadas o quanto antes, porque o clima do Paraná contribui para a ocorrência da doença. Além disso, a pessoa vacinada leva em torno de 15 dias para adquirir imunidade”, ressalta o Superintendente de Vigilância em Saúde, Sezifredo Paz.

Devem ser vacinadas as crianças entre seis meses e quatro anos de idade, idosos, gestantes, puérperas (mulheres em pós-parto até 45 dias), indígenas, doentes crônicos, trabalhadores de saúde e população privada de liberdade. A vacina é segura e protege contra os vírus mais circulantes no país (Influenzas A H1N1 e H3N2 e Influenza B), por isso todas as pessoas que se vacinaram no ano passado devem receber a dose novamente.

Atendimento – O dia “D” de vacinação será no próximo sábado (26), quando todas as 2,5 mil Unidades Básicas de Saúde estarão funcionando com horário estendido, além dos postos volantes definidos pelos municípios. A Secretaria da Saúde estima que cerca de 2,9 milhões de pessoas sejam vacinadas até o último dia da campanha.

Monitoramento – O Paraná realiza o monitoramento dos vírus circulantes da gripe no estado e se destaca como referência dentro do Brasil e para a Organização Mundial da Saúde (OMS). Esse é o resultado do trabalho realizado pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-PR) e pelas 53 unidades sentinelas (redes de hospitais e unidades de saúde municipais) que formam a rede paranaense de coleta, processamento e análise das amostras de pacientes com suspeita de síndrome respiratória.

A metodologia do Lacen-PR permite a identificação de mais 26 tipos de vírus que causam problemas respiratórios. Com esses dados, o Paraná tem informações precisas sobre a circulação viral e sobre o perfil dos pacientes mais atingidos por doenças como a gripe.

O monitoramento acontece durante todo o ano, por meio de um relatório contínuo com base no calendário epidemiológico e, toda semana, amostras de cada unidade sentinela e dos pacientes graves internados em UTI são enviadas para serem analisadas pelos profissionais do Lacen-PR.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.