Matérias da SESA

11/08/2017

Obras do Estado vão transformar rede pública de saúde de Londrina

O Governo do Estado está financiando uma série de obras para fortalecer a rede pública de saúde disponível à população de Londrina e região. São reformas e construções de unidades de saúde, intervenções de ampliação no centro de especialidades, além de melhorias no Hospital Universitário (HU) e demais unidades de atendimento de saúde vinculadas à Universidade Estadual de Londrina (UEL). O volume de recursos destinados pelo Estado ultrapassa a marca de R$ 50 milhões.

De acordo com o secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, trata-se de um conjunto de investimentos que vão recolocar Londrina novamente em uma posição de destaque em relação a estrutura de saúde pública no Brasil. "Londrina sempre foi vanguarda na área da saúde, mas ficou parada no tempo nos últimos anos. Desde 2011, estamos trabalhando para resgatar este protagonismo da cidade e por isso, muito em breve, a população sentirá a diferença", disse Caputo Neto, durante um dia inteiro de visitas à obras nesta sexta-feira (11).

No Hospital Universitário, Caputo Neto pôde acompanhar as obras das novas instalações da maternidade, que deve ser inaugurada a partir de outubro de 2018. Com quase metade da estrutura concluída, o espaço terá quatro pavimentos e contará com pronto socorro obstétrico, centro cirúrgico com duas salas; sete salas de pré-parto, parto e puerpério; enfermarias com leitos de internação; 20 leitos de UTI neonatal, unidade de cuidados intermediários, entre outras alas de atenção materno-infantil

"Vamos mais que dobrar a capacidade de atendimento da maternidade", assegura a diretora superintendente do Hospital Universitário, Elizabeth Ursi. A previsão é que a maternidade passe a ter 76 leitos de internação, muito mais do que os atuais 34 leitos existentes. "Isso sem falar na qualidade do atendimento. As gestantes terão muito mais conforto e segurança durante todo o período de internação. Será possível oferecer um atendimento mais humanizado", complemente a diretora.

Ao todo, o Estado está aplicando R$ 12,5 milhões na obra e ainda garantirá todos os equipamentos do novo prédio. A estrutura será referência para receber gestações de alto risco de toda a região. Atualmente, cerca de 90 partos são realizados mensalmente na unidade.

Outras novidades no HU são a conclusão da 1ª etapa das reformas na ala masculina de internação e os retoques finais na nova UTI adulto. A expectativa é incorporar mais 10 leitos de UTI nos próximos dois meses, elevando para 30 o número de leitos deste gênero no hospital. A medida vai ao encontro da estratégia de fortalecer o HU como um dos principais pontos de atenção da Rede Paraná Urgência, recebendo casos graves de urgência e emergência, sobretudo com a instalação da base do helicóptero de resgate do Governo do Estado na cidade

Durante a visita ao hospital, Caputo Neto anunciou que está sendo estudada a possibilidade de realizar uma grande reforma e ampliação no Pronto Socorro do HU ainda neste ano. "Recebemos o projeto da direção do hospital e queremos incorporar esta obra no orçamento deste ano. Vamos qualificar este pronto socorro, porque as pessoas merecem e têm o direito de serem atendidos com dignidade", assegurou o secretário, que na oportunidade recebeu o título de "Amigo do HU" pelo empenho nas ações realizadas em prol do hospital.

Acompanhado dos deputados Cobra Repórter e Tiago Amaral, Caputo Neto visitou também as obras da nova Clínica Odontológica da UEL e a sede do Centro de Especialidades do Paraná, anexa ao Consórcio Intermunicipal do Médio Paranapanema (Cismepar). A estimativa é que ambas sejam finalizadas até o final do ano, melhorando as condições de assistência especializada para toda a região.

CLÍNICA ODONTOLÓGICA - Com mais de 5 mil metros quadrados e um investimento superior a R$ 8 milhões, a Clínica Odontológica está praticamente pronta. "Temos 99% de trabalhos concluídos. Faltam apenas alguns detalhes de acabamento", informa o professor Carlos Eduardo de Oliveira Lima, chefe da Divisão Clínica da unidade.

Segundo ele, o processo de licitação dos equipamentos também já foi iniciado e dentro de poucos meses a estrutura estará à disposição tanto dos pacientes, quanto dos acadêmicos do curso de Odontologia. "Com certeza vai melhorar muito. Estamos bastante ansiosos para que o serviço seja aberto e só temos a agradecer o governo pelo investimento", comemorou o professor universitário
.
ESPECIALIDADES - Já o Centro de Especialidades do Paraná está com 57% de obra concluída, de acordo com a última medição realizada no final de julho. Serão 3,5 mil metros quadrados de área construída, cujo prédio abrigará os serviços de imagem e diagnóstico, como raio-x, tomografia, ressonância magnética e mamografia digital, bem como os atendimentos das redes de atenção: saúde do idoso, mãe paranaense (materno-infantil), saúde mental, condições crônicas, entre outros.

O secretário-executivo do Cismepar, Luis Lino, relata que o grande diferencial será a implantação do modelo de consulta única, onde o paciente terá acesso a um acompanhamento multidisciplinar, com consultas e exames especializados em um único dia. "Isso garante um cuidado integral ao paciente, priorizando o bem-estar da pessoa e reduzindo a necessidade de vários deslocamentos para se chegar a um diagnóstico definitivo e, se necessário, um tratamento àquele determinado problema de saúde identificado", declarou.

A projeção é que com o novo prédio, o número de atendimentos cresça de 1,2 mil para uma média de 1,6 mil por dia. Inicialmente, o Estado aplicou R$ 7 milhões nesta construção e mais R$ 1,7 milhão para mobiliário e equipamentos.

Também participaram da agenda de visitas nas obras da saúde em Londrina o secretário municipal de saúde, Felippe Machado; a diretora da 17ª Regional de Saúde, Teresinha Sanchez; a reitora da UEL, Berenice Jordão, além de autoridades e representantes do conselho estadual de saúde e da comunidade local.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.