Matérias da SESA

11/10/2017

Profissionais são orientados sobre encaminhamento ao serviço de cuidados continuados

Profissionais são orientados sobre encaminhamento ao serviço de cuidados continuadosA Secretaria de Estado da Saúde realizou nesta quarta-feira (11) a primeira capacitação para serviços de alta complexidade do SUS que encaminham pacientes aos atendimentos em cuidados continuados do Estado. Participaram profissionais da área e técnicos de regionais de saúde envolvidos com o serviço. O objetivo é qualificar o encaminhamento de uma instituição para a outra, observando principalmente os critérios de cada unidade.

“O Paraná trouxe de maneira inovadora um novo tipo de atendimento para a rede pública de saúde, que cria uma modalidade de atendimento para pessoas que necessitam de reabilitação intensiva em nível hospitalar para o retorno do usuário ao seu domicílio em condições seguras”, explica o diretor-geral da Secretaria estadual da Saúde, Sezifredo Paz.

Atualmente, o Estado conta com duas unidades especializadas no cuidado continuado integrado, uma no município de Rebouças (Hospital da Caridade Dona Darcy Vargas), na região sudeste, e outro em Cornélio Procópio (Centro de Excelência à Atenção Geriátrica e Gerontológica/Casa de Saúde Doutor João Lima), no norte pioneiro. A principal função dos serviços é dar suporte à reabilitação e recuperação da autonomia daquele paciente que sofreu um trauma ou um AVC, por exemplo.

“Em nosso dia a dia, vemos muita dificuldade no entendimento dos hospitais sobre o paciente que deve ser encaminhado. Surge, então, a necessidade desta capacitação. Acreditamos que essa comunicação entre as instituições vai trazer benefícios para o usuário que precisa receber esse tipo de tratamento”, conta o diretor executivo da Casa de Saúde Doutor João Lima, Rangel da Silva.

A coordenadora de Cuidados Continuados, Schirley Follador, explica que os critérios variam de acordo com o local de atendimento, mas, normalmente, o paciente ideal para receber o cuidado continuado é aquele que enfrenta algum problema neurológico, sofreu uma lesão medular, alguma fratura, entre outros, mas que tenha um potencial efetivo de recuperação.

Profissionais são orientados sobre encaminhamento ao serviço de cuidados continuadosO atendimento é realizado de forma integrada por uma equipe multidisciplinar composta por enfermeiros, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, médicos, nutricionistas, psicólogos, terapeutas ocupacionais e outros profissionais que atuam em busca da recuperação do paciente em um prazo de até 90 dias. “Queremos que esses pacientes recuperem a independência e a autonomia para uma melhor qualidade de vida”, fala Schirley.

FUTURO – A capacitação realizada no prédio central da Secretaria da Saúde, em Curitiba, reúne cerca de 90 profissionais das macrorregiões leste e norte devido à proximidade com os serviços já existentes. “Embora a capacitação tenha priorizado as instituições que mais fazem encaminhamentos, todo o Estado tem o direito de acesso aos serviços oferecidos nos centros de Rebouças e Cornélio”, orienta Schirley.

De acordo com o diretor-geral, mais dois novos locais estão sendo estudados para se tornarem centros de cuidados continuados no Paraná. “Nossa intenção é expandir para todo o Estado, implantando unidades de cuidados continuados nas quatro macrorregiões de saúde”, diz.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.