Matérias da SESA

08/01/2018

HU dos Campos Gerais ganha nova ala especializada em pediatria

Inauguração ala de cirurgia pediátrica HU PG - Caputo NetoO secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto, inaugurou nesta segunda-feira (8), em Ponta Grossa, a nova ala de cirurgia pediátrica do Hospital Universitário Regional dos Campos Gerais (HURCG). A estrutura contará com oito leitos especializados e será referência para o atendimento de toda a região, que concentra 12 municípios.

O objetivo é ampliar a oferta de serviços já disponíveis no hospital, fortalecendo sua retaguarda de atendimento e reduzindo a necessidade de transferências de pacientes para outras regiões. “Com isso, estamos dando mais um passo para resolver um problema antigo dos Campos Gerais, que é o atendimento pediátrico. A ideia é garantir que as crianças desta região sejam atendidas mais perto de casa e com toda a estrutura necessária para o conforto e segurança do tratamento”, relatou o secretário.

Para Caputo Neto, a presença da família geralmente é fundamental para a boa recuperação das crianças. “Sabemos o quanto o amor e o carinho dos pais é importante para o tratamento dos pequenos. Por isso, descentralizando esse tipo de serviço, encurtamos distâncias e facilitamos a vida dos pais e demais familiares”, declarou.

Segundo a enfermeira responsável pela nova ala, Juliana Estafanski, um projeto-piloto será implantado para aproximar ainda mais os pais de seus filhos em tratamento. “A proposta é permitir que os pais ou responsáveis fiquem com suas crianças até o momento da anestesia, antes da cirurgia. Isso dá mais segurança à criança”, afirmou.

Ao todo, o Estado destinou R$ 100 mil para equipar a nova ala, que conta com duas enfermarias. Além disso, serão investidos mais R$ 1,8 milhão por ano em recursos de custeio, que garantem a manutenção das equipes e o pagamento de demais despesas.

RESIDÊNCIA – Segundo o secretário estadual da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, João Carlos Gomes, essa é mais uma ação efetiva do Governo do Estado que alia duas importantes políticas públicas: saúde e a educação. “Esta parceria intersetorial só favorece a população. Ela traz benefícios ao atendimento em saúde e também à formação de novos profissionais, que usam o HU como campo de estágio e residência”, ressaltou. “Para se ter ideia, neste ano teremos 120 residentes aqui”, complementa.

A previsão é que sejam realizadas 60 cirurgias/mês, com destaque para apendicite, hérnias enclausuradas e torção de testículo. Esses procedimentos tratam situações de urgência que requerem intervenção multiprofissional das equipes de cirurgia, radiologia, pediatria, anestesia, enfermagem, análises clínicas, farmácia, dentre outros.

De acordo com o diretor-geral do HURCG, Everson Augusto Krum, o hospital vem passando por uma grande transformação desde 2011, início da gestão do governador Beto Richa. “Trouxemos para cá a maternidade, a UTI neonatal, a UTI pediátrica e mais uma série de outros serviços que fortaleceram o HU como referência materno-infantil. E agora, com mais essa ala cirúrgica, estamos avançando ainda mais na área pediátrica”, enfatizou.

O Hospital Universitário já realizava cirurgias de trauma pediátrico (acidentes e quedas) e agora passa a oferecer mais uma especialidade. Como hospital público de assistência e ensino, possibilitará também que acadêmicos de Medicina, Enfermagem e residentes médicos e multiprofissionais aprendam no próprio HU, que está dentro do Campus da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Em seu discurso, o prefeito de Ponta Grossa, Marcelo Rangel, fez questão de lembrar da evolução do hospital universitário ao longo dos últimos anos. “É muito bom ver o quanto este hospital não para de crescer. Hoje podemos dizer que ele serve de retaguarda para a nossa população. Um trabalho que merece ser destacado”, comemorou.

RESGATE – Em 2010, o hospital contava com apenas 18 leitos gerais ativos. Atualmente, este número já é nove vezes maior – 164 leitos. Também foi implantado o serviço de ressonância magnética, com um investimento de R$ 2,7 milhões, e o laboratório de análises clínicas.

Além disso, foi inaugurada a nova ala de UTI pediátrica e neonatal, aumentando de oito para 20 leitos. A ampliação da oferta de serviços foi possível graças ao reforço no quadro de funcionários, que agora conta com 480 servidores. O número é 43% maior do que existia em 2010, quando apenas 334 servidores trabalhavam no hospital.

Em média, o hospital faz 60 mil atendimentos ambulatoriais, 3.500 cirurgias e 40 mil exames. No ambulatório de gestação de alto risco, são atendidas mais de 3 mil gestantes ao ano.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.