Matérias da SESA

25/05/2018

Autorizado o início das obras no Pronto-socorro do HU Londrina

evento hospital universitário da uel
O Hospital Universitário de Londrina, pertencente à UEL, terá seu pronto-socorro ampliado e reformado e também receberá uma unidade cardiovascular. O investimento, de R$ 13 milhões, é do Governo do Estado e foi confirmado pela governadora Cida Borghetti. A autorização para o início das obras foi dada pelo diretor-geral da Secretaria da Saúde, Sezifredo Paz, nesta sexta-feira (25), em evento Hospital Universitário. Com a ampliação, o pronto-socorro vai dobrar o número de leitos, passando de 48 para 96.

No evento, também foi dada autorização de repasse R$ 5,3 milhões para o Cismepar (Consórcio Intermunicipal de Saúde do Médio Paranapanema) e R$ 400 mil ao Instituto do Câncer de Londrina. Sezifredo Paz afirmou que a obra no pronto-socorro beneficiará toda a região de Londrina. “Estamos investindo muito no HU e nos prestadores, porque queremos que o serviço de saúde da região esteja cada vez mais próximo das pessoas, evitando que tenham longos deslocamentos para atendimento”, disse ele.

Para o prefeito de Londrina, Marcelo Belinati, atende antiga demanda da cidade e vai proporcionar melhoria na qualidade do atendimento e um conforto maior aos pacientes. “Uma obra histórica para Londrina, que, além de tudo isso, também dará condições de trabalho mais adequadas aos profissionais”, disse ele.

ALA NOVA - O início das obras no HU está marcado para 11 de junho e tem prazo de 720 dias corridos para o término. Em um primeiro momento será construída a ala nova, em frente ao atual PS, para onde a atual estrutura de atendimento de urgência será levada. Em seguida, começarão os trabalhos de reforma do antigo PS.

A superintendente do hospital, Elizabeth Ursi, lembrou que partir da reforma e ampliação será possível ofertar uma assistência mais adequada em relação ao conforto e segurança dos pacientes e seus familiares. “Nosso pronto-socorro trabalha com muita ocupação todos os dias. Agora, com essa reforma, vamos dobrar a nossa capacidade atual e resolver totalmente essa super- ocupação”, disse ela.

A nova planta física também contempla áreas específicas para pacientes em diferentes condições de saúde, como a unidade cardiovascular, que terá leitos de retaguarda para pacientes graves cardíacos, neurológicos e vasculares. Elizabeth lembrou, ainda, que também será construído um centro para pacientes vítimas de trauma. “Desta forma, teremos dois eixos de atendimento, separando os pacientes em condição mais crítica dos menos críticos, o que facilitará o processo de atendimento”, explicou.

REPASSES - O montante de R$ 5,3 milhões repassado ao Cismepar se refere a cinco parcelas do convênio firmado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde, para a manutenção dos atendimentos nos hospitais Anísio Figueiredo (Hospital da Zona Norte) e Dr. Eulalino Ignácio de Andrade (Hospital da Zona Sul) para apoiar as ações e serviços a pacientes do SUS.

Para o Instituto do Câncer de Londrina, o repasse da Secretaria da Saúde se refere a duas parcelas do incentivo de custeio de oncologia. O incentivo é dirigido aos hospitais com perfil assistencial exclusivo a oncologia e possuem habilitação como Centros de Assistência Especializada em Oncologia - CACON.

MAIS INVESTIMENTOS - De 2011 para cá o Governo do Estado destinou R$ 5,3 milhões para reforma e equipamentos de 20 unidades de saúde de Londrina. Também foram repassadas 26 ambulâncias para 19 municípios da região. Foi construído o novo bloco da Clínica Odontológica da UEL (R$ 16,9 milhões).

Ainda no primeiro semestre deste ano será entregue o Centro de Especialidades de Londrina, um investimento de R$ 7 milhões e mais R$ 1,7 milhão em equipamentos. Já a nova maternidade do Hospital Universitário da UEL tem entrega previsto para a partir de novembro deste ano. O Estado investe R$ 12,5 milhões na obra.

O Governo do estado também destinou R$ 3,5 milhões para a ampliação do Hospital do Câncer de Londrina, obra que teve investimento total de R$ 12 milhões. Além disso, o Hospital recebe R$ 3,6 milhões por ano do Governo do Estado para custeio. Também será destinado recurso para reforma e ampliação da Maternidade Municipal Lucilla Ballalai, que é referência à gestação de risco habitual e intermediário da região. Investimentos que demonstram que o Governo do Estado vê como prioridade a saúde de Londrina, disse o secretário municipal de saúde do município, Felipe Machado.

PRESENÇAS - Participam da solenidade o deputado federal Luiz Carlos Hauly; o reitor em exercício da UEL, Ludovico dos Santos; o presidente do Instituto do Câncer de Londrina, Francisco Ontivero; e os deputados estaduais Tercílio Turini e Tiago Amaral.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.