Matérias da SESA

10/10/2018

Estado usará robô para testes oftalmológicos em escolas e postos de saúde

roboUm equipamento desenvolvido por uma startup paranaense, capaz de detectar precocemente problemas de visão que podem ser evitados, vai ajudar o Governo do Paraná a oferecer testes oftalmológicos em escolas e unidades de saúde em diferentes regiões do Paraná. Trata-se do Adam Robo, um equipamento portátil, que pode ser levado a regiões mais remotas, e que garantiu à startup Prevention, de Curitiba, destaque na Imagine Cup, competição promovida pela Microsoft e considerada a Copa do Mundo da inovação.

Um exemplar do Adam Robo foi entregue ao Governo do Estado, durante reunião da governadora Cida Borghetti com os fundadores da startup, nesta quarta-feira (19), no Palácio Iguaçu. O equipamento já tinha sido levado aos Mutirões da Cidadania promovidos pelo Governo do Estado e pela prefeitura de Curitiba ao longo do ano passado.

“Os problemas de visão são uma das causas diretas da evasão escolar. Com este robô, poderemos ampliar as ações de saúde nas escolas e trazer mais qualidade de vida para crianças e adolescentes”, disse a governadora. “É um orgulho ver como uma empresa que nasceu no Paraná está criando soluções como esta. Vamos levar este exemplar do Adam Robo para todo o Estado”, afirmou.

A Secretaria da Saúde ficará responsável pela circulação do equipamento pelo Estado, explicou o secretário Antônio Carlos Nardi. “Vamos colocá-lo à disposição de todos os paranaenses. O Adam Robo faz toda a detecção de acuidade visual de crianças, adolescentes e também de adultos e, por isso, vai entrar no escopo dos programas do Governo do Estado que trabalham com essa área”, disse.

“Municípios menores muitas vezes não têm acesso a oftalmologistas ou a campanhas de prevenção. Nosso desejo é plantar essa semente, entregando um equipamento ao Governo do Estado para que possa ser levado a outras cidades. Queremos que ele chegue ao Estado inteiro e, consequentemente, a todo o Brasil”, ressaltou Juliano Santos, criador do Adam Robo e fundador da Prevention.

SOLUÇÃO
– Juliano Santos, que tem formação como técnico óptico, disse que a cada cinco segundos uma pessoa fica cega no mundo – no caso de crianças, é uma por minuto – sendo que 80% desses casos poderiam ser evitados com diagnósticos precoces. “Foram esses dados que nos motivaram a criar uma solução para os problemas básicos de saúde visual. O Adam detecta os problemas visuais de forma simples e rápida. Em cinco minutos ele descobre problemas como miopia, hipermetropia, astigmatismo e até mesmo as cores do daltonismo”, explicou.

O robô é parecido com os equipamentos utilizados para testes oftalmológicos e tem como base a tabela de Snellen, linguagem universal usada pelos médicos oftalmologistas para avaliar a acuidade visual. O diferencial é que os resultados são gerados instantaneamente e digitalizados pelo software do Adam, por meio de um aplicativo para Android, iOS e web. O equipamento também utiliza figuras para fazer os testes em pessoas não alfabetizadas.

WORKTIBA - O projeto começou a ser desenvolvido em 2016. A startup ficou inicialmente instalada no Worktiba, coworking da prefeitura de Curitiba, localizado no Parque Barigui, e agora está incubada na Federação das Indústrias do Paraná (Fiep). O aparelho está sendo melhorado para diagnosticar e acompanhar o desenvolvimento de doenças visuais como a catarata e o pterígeo, que é o crescimento do tecido da córnea.

VENCEDORA - A invenção foi vencedora da etapa latino-americana da Imagine Cup e chegou à etapa final da competição. No evento mundial, realizado em junho deste ano em Seattle, nos Estados Unidos. “Como campeões da etapa da América Latina, representamos o Brasil e o Paraná na etapa mundial e ficamos entre os 15 melhores projetos mundiais nessa competição, que tinha equipes de todo o mundo”, contou Santos.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.