Matérias da SESA

01/11/2018

Rede Mãe Paranaense recebe primeiro lugar em cerimônia de premiação do Sesi PR

Rede Mãe Paranaense recebe primeiro lugar em cerimônia de premiação do Sesi PRA secretaria estadual da Saúde foi o principal destaque na categoria Poder Público Estadual da 3ª edição do Prêmio Serviço Social da Indústria Paranaense – Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (SESI/ODS). O evento aconteceu na noite da última terça-feira (30) durante o Congresso ODS 2018, em Curitiba.

A premiação tem como objetivo estimular e reconhecer os melhores projetos de indústrias, empresas, poder público, organizações da sociedade civil e instituições de ensino para a promoção de dimensões sociais, ambientais, econômicas e institucionais que contribuam para o alcance dos objetivos e metas da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável no Brasil.

O secretário estadual da Saúde, Antônio Carlos Nardi, agradece ao excelente trabalho das equipes da Atenção Primária e reforça as ações da Rede Mãe Paranaense em oferecer atendimento de qualidade e suporte integral para as gestantes e crianças.

“Ficamos honrados em participar de uma premiação tão importante, que reconhece o trabalho de instituições públicas e privadas que contribuem para um Paraná mais digno. O Governo do Estado investe constantemente em melhorias que garantam qualidade de vida, saúde e bem-estar para nossa população. Os esforços não podem parar, este prêmio é uma motivação para intensificar nossa rede de apoio e estruturação também para as futuras gerações de paranaenses’’, comemora o secretário Nardi.

A iniciativa de detalhar o projeto da Rede Mãe Paranaense e inscrevê-lo no Prêmio Sesi-ODS foi do farmacêutico da Sesa, José Carlos Silva de Abreu, atualmente lotado na diretoria-geral. O Projeto inscrito levou em conta a evolução da Rede desde sua concepção e a observação do impacto das ações propostas na atenção materno-infantil.

MÃE PARANAENSE – Implantado em 2012 nos 399 municípios do Paraná, a Rede Mãe Paranaense é composta por um conjunto de ações que envolvem a identificação precoce da gestante, acompanhamento pré-natal, realização de exames, classificação de risco das gestantes e das crianças e consultas em ambulatório especializado para casos de risco.

A chefe do Departamento de Atenção Primária, Monique Costa, acrescenta que o programa auxiliou na identificação precoce de ameaças para as mães e seus bebês. “O reconhecimento de potenciais riscos com base em características biológicas, socioeconômicas e sua estratificação em risco habitual, intermediário e alto risco, permitiu um acompanhamento mais equânime das gestantes, com significativa redução nos indicadores de morte materna e infantil no Estado”, comenta.

ÍNDICES – Entre 2010 a 2017, a razão da mortalidade materna reduziu 50,6%, passando de 64,4 para 31,8 por 100 mil nascidos vivos. No mesmo período, a razão da mortalidade infantil reduziu 15,5%, de 12,2 para 10,3 por 100 mil nascidos vivos. “Estes são os menores índices em toda história do Paraná, mas o nosso desafio é ainda maior, queremos reduzir a mortalidade infantil a um dígito e temos que qualificar ainda mais a assistência ao parto. O prêmio reconhece nosso trabalho como articuladores da saúde e mostra que estamos no caminho correto para atingir a meta”, finaliza o secretário Nardi.

INSCRITOS – A terceira edição do Prêmio ODS contabilizou 361 inscrições em todo Paraná. Apenas 65 foram selecionadas como finalistas, entre elas a Secretaria da Família e Desenvolvimento Social, a Penitenciária de Foz do Iguaçu e o Ministério Público do Paraná.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.