Matérias da SESA

19/06/2019

Sesa reforça importância da vacinação contra febre amarela

FEBREO governo do Paraná está fazendo um apelo para que as pessoas tomem a vacina contra a febre amarela, a única forma eficaz de evitar a doença. Os profissionais da saúde acreditam que a incidência da doença pode voltar a crescer nos próximos meses, especialmente nos municípios do Litoral, Região Metropolitana de Curitiba e dos Campos Gerais.

Mas o alerta vale para todo estado, reitera a enfermeira Vera Rita da Maia, da Divisão de Imunização da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa). Nesta semana, o Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública da Sesa confirma mais sete epizootias, que é a morte de macacos contaminados pela febre amarela.

Na semana passada o boletim epidemiológico apresentava 42 epizootias confirmadas e nesta semana são 49. A investigação compreende o período de julho de 2018 até agora. Os novos casos foram confirmados em Tibagi (3) Campo Largo(1), Carambeí (1), Piraí do Sul (1), Ponta Grossa (1).

Os macacos não transmitem a doença. Na verdade, assim como os humanos, também são contaminados pela picada do mosquito transmissor. “Os macacos sinalizam a presença do vírus na região. A ocorrência de epizootias indica que a população deve buscar a vacina e este é nosso alerta: os casos de febre amarela continuam sendo confirmados e vacina é a única forma de prevenção contra a doença que pode causar complicações e levar até a morte”, afirma a enfermeira.

Os demais municípios com registro de mortes de macacos são Antonina, Morretes, Paranaguá, Balsa Nova, Ipiranga, Jaguariaíva, Tibagi, Castro e São José dos Pinhais, sendo que as duas últimas cidades já tiveram 12 e 13 casos de morte de macacos confirmadas respectivamente.

Vacina – A vacina contra a febre amarela está disponível em todas as unidades de saúde. É indicada para pessoas a partir de 9 meses até 59 anos, 11 meses e 29 dias. “A vacina é segura e 100% eficaz”. Nos municípios com casos confirmados de epizootias ou em humanos as gestantes e pessoas fora da faixa etária preconizada devem passar pela avaliação de um profissional de saúde para receber a vacina explica a enfermeira Vera Rita.

Até agora, o Paraná registra uma morte e outros 17 casos confirmados de febre amarela e 76 casos em investigação.

Sintomas – Os sintomas iniciais da febre amarela são febre alta de início súbito, associada a dor de cabeça, calafrios, náuseas, vômitos, dor no corpo e dor abdominal.

A febre amarela pode ter evolução rápida para formas graves com icterícia (amarelão da pele), dor abdominal intensa, sangramentos no sistema digestivo. Por isso a importância de identificar a doença precocemente e da prevenção.
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.