Autoridades discutem controle do coronavírus no aeroporto Afonso Pena
06/02/2020 - 18:30

 

aeroporto
Representantes da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) estiveram com autoridades nacionais e locais da área de saúde e comando aeroportuário para definições dos procedimentos a serem realizados em casos suspeitos de coronavírus em voos que chegam ao aeroporto Afonso Pena, em São José dos Pinhais, Região Metropolitana de Curitiba. A reunião aconteceu na tarde desta quinta-feira (6).

 

“A preocupação com o coronavírus não é só do Paraná. Neste momento unimos forças com todas as instituições que tenham poder em determinado momento sobre um possível suspeito com a doença para definir estratégias de precauções e cuidados em casos específicos”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, que está em Brasília para cumprir agenda com o Ministro da Saúde, Henrique Mandetta, e secretários estaduais e municipais de saúde do Brasil.

A coordenadora da Vigilância Epidemiológica da Sesa afirmou que encontros como este são necessários para que dúvidas e esclarecimentos sejam sanados através da instrução nacional que deve ser seguida. “É importante que os profissionais da área da saúde e aeroportuários estejam alinhados para que nenhuma ação seja tomada precipitadamente e de maneira equivocada”, disse Acácia Nasr.

“O objetivo da reunião é a harmonização de procedimentos relacionados a eventos de saúde pública de importância internacional, os chamados ESPII, associados ao Novo Coronavírus, conforme o Plano de Contingência para ESPII estabelecidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)”, complementou a coordenadora.

Segundo a Anvisa, o propósito do encontro é de estabelecer as responsabilidades e ações indispensáveis para atendimento de ESPII envolvendo o aeroporto Afonso Pena.

DEFINIÇÕES — Na ocasião foi estipulado um fluxo de atendimento para passageiros que apresentem sintomas que se encaixem na definição da doença estipulados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em voos que irão desembarcar no aeroporto, respeitando e protegendo a pessoa doente e os demais passageiros que estejam a bordo.

A orientação é que assim que for identificado, o passageiro deverá receber uma máscara, passar álcool gel nas mãos e, se possível, se deslocar para local de isolamento — ainda dentro do avião — para diminuir o risco de contaminação dos demais. A seguir, a comissão de voo irá informar o aeroporto que possui a bordo um suspeito de estar infectado com o vírus, para que os profissionais aeroportuários possam providenciar atendimento imediato assim que o avião realize o pouso. Em via terreste, esse atendimento possivelmente será efetuado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), que levará o suspeito até uma unidade de referência para atendimento.

PREVENÇÃO — As principais medidas são: evitar contato próximo com pessoas com infecções respiratórias agudas; lavar frequentemente as mãos, especialmente após o contato direto com pessoas doentes e antes de se alimentar; usar lenço descartável para higiene nasal; cobrir nariz e boca ao espirrar e tossir; não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres pratos, copos ou garrafas .

AÇÕES — A Sesa ativou no dia 27 de janeiro o Centro de Operações em Emergências (COE) com o objetivo de definir as estratégias e procedimentos para o enfrentamento da situação epidemiológica relacionada ao Novo Coronavírus.

Nesta sexta-feira (7), a Sesa realizará uma webconferência na Secretaria de Estado da Educação e do Esporte (SEED) e Defesa Civil para professores e profissionais de escolas e creches públicas e privadas do Paraná.

PRESENÇAS — Estiveram presentes representantes das coordenações de Atenção Primária em Saúde, Vigilância Epidemiológica e Sanitária da Sesa, direção e membros da 2ª Regional de Saúde, Anvisa, Infraero, ANAC, Polícia Federal, (SAMU) e equipe do aeroporto Afonso Pena.