PlanificaSUS Paraná

 

O PlanificaSUS Paraná é uma estratégia de educação permanente que busca consolidar a operacionalização plena da Rede de Atenção à Saúde (RAS), por meio da implantação metodológica da Planificação da Atenção à Saúde (PAS). A metodologia da PAS visa desenvolver competências, habilidades e atitudes necessárias às equipes técnicas e gerenciais para organizar, qualificar e integrar os processos de trabalho da Atenção Primária à Saúde (APS), Atenção Ambulatorial Especializada (AAE) e Atenção Hospitalar (AH) com foco nas necessidades de saúde dos usuários.

Missão, Visão e Valores PlanificaSUS

O projeto tem como referenciais teóricos a RAS, o Modelo de Atenção às Condições Crônicas (MACC) e o Modelo Operacional da Construção Social da Atenção Primária à Saúde (Mendes, 2011).

 


 

Linha Prioritária

 

No Paraná, a organização dos processos na RAS acontece na linha de cuidado prioritária do Idoso, fazendo parte do projeto Envelhecer com Saúde no Paraná, com intuito de expansão para as demais linhas prioritárias do estado, conforme avanços obtidos na implantação do projeto PlanificaSUS Paraná (PARANÁ, 2020).

 


 

Projeto Piloto

 

O projeto piloto inicialmente foi desenvolvido na Região de Irati (4ª Regional de Saúde), no período de 2019 a 2020, por meio de apoio técnico do Conselho Nacional dos Secretários de Saúde (CONASS) e pelo Hospital Israelita Albert Einstein, via Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (ProadiSUS)

 

 

Depoimentos 4ª Regional de Saúde

 

Walter Henrique Trevisan - Enfermeiro/Diretor da 4ª Regional de Saúde do Paraná
Érica Ianoski - Enfermeira/Tutora Regional da Atenção Primária à Saúde
Patrícia Sobutka - Administradora/Tutora Regional da Atenção Ambulatorial Especializada
Emalline de Paula Santos - Psicóloga/Tutora do ambulatório de especialidades - CIS AMCESPAR
Amauri Klossovski - Enfermeiro/Secretário Municipal de Saúde de Teixeira Soares

 

 


 

Metodologia

 

A metodologia do projeto PlanificaSUS Paraná se baseia na utilização de práticas problematizadoras que proporcionam uma ação reflexiva dos atores envolvidos e propõe o desenvolvimento de ações efetivas a partir de um processo colaborativo de planejamento estratégico e melhoria contínua.

"O projeto é composto por dez (10) etapas, conforme quadro 1, operacionalizadas por meio de workshops para alinhamento conceitual de maneira interativa, através de estudos de caso, trabalhos em grupo, dramatizações, debates, entre outros; e oficinas tutoriais onde os profissionais assistenciais e gerenciais recebem apoio para aprimorar os processos de trabalho nos serviços da RAS (APS, AAE, AH, sistema de apoio e logístico) refletindo sobre a própria prática, a fim de detectar oportunidades e implantar ciclos de melhoria. Além dos workshops e oficinas tutoriais o projeto também oferece cursos curtos, que abordam o conhecimento de temas específicos como por exemplo: estratificação de risco, abordagem multiprofissional às condições crônicas, liderança, entre outros."

 

QUADRO 1 - Etapas do projeto PlanificaSUS Paraná

ETAPA PREPARATÓRIA

 

A Planificação da Atenção à Saúde

 

ETAPA 1 - A integração da APS e AAE em Rede

1- Compreensão sobre os conceitos de RAS, APS, AAE e referenciais teóricos (MACC e Construção
Social da APS)
2- Apropriação sobre a situação da atenção primária à saúde nos municípios da região
3- Apropriação e ajustamento da carteira de serviços do ambulatório de atenção especializada de referência
4- Unidades laboratório com Grupos de Trabalhos definidos
 

 

Workshop 1
CLIQUE






 

 

Oficina Tutorial 1
Em breve mais documentos





 

 

ETAPA 2 - Território e Gestão de Base Populacional

1- Compreensão sobre os conceitos de território e gestão de base populacional
2- Macroprocessos organizados na APS: territorialização, cadastro familiar, estratificação
de risco familiar e identificação das subpopulações alvo
3- Macroprocessos organizados na AAE: cadastro e vinculação das unidades básicas dos municípios
com o ambulatório de atenção especializada
4- Microprocesso organizado: vacinação
 

 

Workshop 2
CLIQUE







 

 

Oficina Tutorial 2.1
Oficina Tutorial 2.2






 

 

ETAPA 3 - O Acesso à RAS

1- Compreensão sobre os conceitos de acesso, perfis de demanda e oferta e
ferramentas para sua organização
2- Macroprocessos organizados: acesso aos serviços da APS e AAE
3- Microprocessos organizados: recepção da unidade e prontuário
 

 

Workshop 3
CLIQUE





 

 

Oficina Tutorial 3





 

 

ETAPA 4 - Gestão do Cuidado

1- Compreensão sobre os conceitos de condições de saúde, estratificação de risco e gestão
da condição de saúde
2- Macroprocessos organizados: linhas de cuidado para as condições crônicas na APS, AAE
e atenção aos eventos agudos
3- Microprocessos organizados: esterilização, higiene e limpeza, gerenciamento e resíduos
sólidos em serviços de saúde
 

 

Workshop 4
CLIQUE







 

 

Oficina Tutorial 4.1
Oficina Tutorial 4.2
Oficina Tutorial 4.3





 

 

ETAPA 5 - Integração e Comunicação na RAS

1- Compreensão sobre a importância do conhecimento recíproco, vinculação e apoio entre
as equipes da APS e AAE
2- Macroprocessos organizados: compartilhamento do cuidado, supervisão clínica e educação
permanente

 

Workshop 5




 

 

Oficina Tutorial 5




 

 

ETAPA 6 - Monitoramento e Avaliação

1- Compreensão sobre o modelo de melhoria, dashboard e contratualização
2- Macroprocessos organizados: dashboard de monitoramento de indicadores, rotina de gerenciamento
e contratualização de metas com as equipes

 

Workshop 6



 

 

Oficina Tutorial 6



 

 

ETAPA 7 - Autocuidado Apoiado na APS e AAE

 

Workshop 7

 

Oficina Tutorial 7

 

ETAPA 8 - Cuidados Continuados e Paliativos na APS e AAE

 

Workshop 8

 

Oficina Tutorial 8

 

ETAPA 9 - Segurança do Paciente

 

Workshop 9

 

Oficina Tutorial 9

 

ETAPA 10 - Macroprocessos da Vigilância em Saúde

 

Workshop 10

 

Oficina Tutorial 10

 

ETAPA CONTROLE/MANUTENÇÃO


 

 

Oficina Tutorial
Controle 1
Oficina Tutorial
Controle 2

 

 

Os Workshops e oficinas tutoriais são mediados por apoiadores que recebem formação semipresencial para esses momentos. Os cursos curtos são ministrados por especialistas no assunto.

O projeto também conta com um sistema de monitoramento e avaliação das ações implantadas na RAS da região, a fim de realizar um diagnóstico do marco zero do projeto, ou seja, identificar “onde estamos” (as is). Posterior e periodicamente, o instrumento de avaliação é aplicado a fim de identificar o nível de conformidade dos itens, e avaliar o grau de evolução do modelo proposto, avaliando se houve alcance dos objetivos, isto é, “onde queremos chegar” (to be).

 

ESTRATÉGIAS PARA A ORGANIZAÇÃO DA REDE DE ATENÇÃO À SAÚDE NO ENFRENTAMENTO DA PANDEMIA COVID-19
(Clique)

 


 

Desafios e Potencialidades da Planificação da Atenção à Saúde

 

Um estudo de revisão de escopo (scoping review) publicado no Caderno de informação técnica e memória do Conass, em 2020, evidenciou os desafios e potencialidades da metodologia da Planificação da Atenção à Saúde (PAS) no Brasil, no período de 2008 a 2019. Com base no estudo citado e na análise das respostas do questionário de satisfação do projeto piloto PlanificaSUS preenchido pelos profissionais da 4ª Região de Saúde do Paraná, foi elaborada a Matriz Swot, conforme ilustra a figura 1, elencando os pontos fortes, fracos, ameaças e oportunidades da Planificação da Atenção à Saúde (PAS).

 

Figura Matriz SWOT PlanificaSUS
Figura 1: Matriz Swot – Planificação da Atenção à Saúde

 


 

Linha do Tempo da Planificação da Atenção à Saúde

 

Linha do Tempo da planificação da Atenção à Saúde

 

Saiba mais...
Em 2004, o Conass iniciou uma oficina piloto da RAS com a sua equipe técnica, de modo a instigar a reflexão sobre o Modelo de Atenção à Saúde vigente e o ideal, instigando gestores e trabalhadores a refletirem sobre a necessidade de organizar a APS. A partir de 2005 iniciou a implantação da oficina em 12 estados brasileiros, oportunizando um alinhamento conceitual e reflexão sobre a necessidade de uma APS que fosse de fato a base da estrutura da RAS (LINS,2020).

O conteúdo dessas oficinas, com base no referencial teórico de Mendes e a participação da equipe técnica do Ministério da Saúde nos grupos de atenção à saúde culminaram com a publicação da portaria nº 4.279 de 30 de dezembro de 2010, que estabelece diretrizes para a organização da RAS no âmbito do SUS (Conass,2018). Atualmente essa portaria e várias outras relacionadas à RAS, redes temáticas, redes de pesquisa no âmbito do SUS foram revogadas e passa a vigorar a portaria de consolidação nº 03, de 28 de setembro de 2017.

Em 2009, o Conass desenvolveu a proposta metodológica da Planificação da Atenção Primária à Saúde (PAPS) nos estados, com o objetivo de desenvolver os profissionais para aprimorarem a prática conforme os atributos da APS (STARFIELD, 2002 e MENDES,2012). Na sequência surgiu o Laboratório de Inovação na Atenção às Condições Crônicas (LIACC) coordenado pela Organização Panamericana de Saúde (OPAS) e Conass, bem como o modelo de melhoria e as tutorias. O município de Curitiba (UBS Alvorada do Distrito Sanitário Cajuru), foi o pioneiro no desenvolvimento do LIACC, delineado a partir de 2010, com o intuito de validar o MACC no âmbito da APS. As linhas prioritárias trabalhadas foram: Hipertensão, Diabetes e Saúde Mental.

Entre 2013 e 2014, o LIACC foi implantado em Santo Antônio do Monte (Samonte/Minas Gerais) para propor um novo manejo das condições crônicas, com base no MACC, envolvendo os profissionais da atenção primária e secundária. Já entre 2014 a 2016 o LIACC foi desenvolvido em Tauá / Ceará, com vistas a qualificar a APS prestada e avaliar a efetividade da PAPS.

Após as experiências dos LIACC, observou-se que não era possível organizar a AAE sem reestruturar a APS e vice e versa, diante disso, a quarta geração da Planificação levou a reformulação do projeto, denominando-se Planificação da Atenção à Saúde (PAS), enquanto instrumento de gestão e organização da RAS. No Paraná, a PAS aconteceu nos municípios de Maringá e Toledo.

Em 2017, o Conass ampliou o escopo da PAS evoluindo para uma quinta geração onde foram incluídos outros componentes da RAS, como a assistência farmacêutica e apoio diagnóstico (Conass, 2016). Em 2018, a sexta geração da PAS foi marcada pela inclusão da Atenção Hospitalar (AH) com a finalidade de integrar as ações de vigilância e de assistência em saúde, aplicado nos três níveis de atenção, utilizando o MACC.

Em 2019 com o intuito de capilarizar a PAS a todos os estados brasileiros, o Ministério da Saúde por proposição do Conass, incluiu a PAS no Proadi-SUS a ser executado com o apoio do Hospital Israelita Albert Einstein, intitulado PlanificaSUS, o grupo Einstein incorporou a metodologia da PAS ao sistema lean, útil na racionalização dos fluxos assistenciais e do acesso aos serviços de saúde, utilizados de forma a reduzir atraso, erros e procedimentos desnecessários, impróprios ou redundantes (LINS,2020). Nesse mesmo ano, o projeto foi implantado na 4ª Região de Saúde do Paraná pela SESA com o apoio do Conass e equipe Einstein. Atualmente o estado planeja a expansão da metodologia para as 22 Regiões de Saúde, intitulando o projeto como: PlanificaSUS Paraná.

 


 

Linhas Guia Sesa PR

 


 

Manuais

 

 


 

Notas Técnicas Conass

 


 

Contato

 

Maria Goretti David Lopes 

Giseli da Rocha

Telefone: (41) 3330-4572

E-mail: planificasuspr@sesa.pr.gov.br