Atenção Materno Infantil

A Linha de Cuidado Materno Infantil da Secretaria de Estado da Saúde tem como finalidade a organização da atenção e assistência nas ações do pré-natal, parto, puerpério e o acompanhamento do crescimento e desenvolvimento das crianças, em especial no seu primeiro ano de vida.

A redução da mortalidade materno-infantil em especial a materna são resultados de diversas ações, tais como: organização dos processos de atenção, acolhimento precoce das gestantes no pré-natal, estratificação de risco e vinculação da gestante, conforme estratificação de risco, ao hospital mais adequado para atender o seu parto, bem como o processo de capacitação dos profissionais de saúde.

Tendo em vista as mudanças ocorridas no perfil das gestantes desde a implantação da rede materno-infantil, identificou-se a necessidade de revisar e atualizar os critérios para estratificação de risco das gestantes, a fim de qualificar a atenção ao pré-natal em todo o Estado do Paraná.

Diante disso, a equipe da Divisão de Atenção à Saúde da Mulher coordenou o processo de revisão da estratificação de risco gestacional de forma colaborativa com profissionais da Atenção Primária à Saúde (APS), Atenção Ambulatorial Especializada (AAE) e Atenção Hospitalar Especializada (AHE), bem como consultou diversas áreas técnicas da SESA, especialmente as Regionais de Saúde, além da Sociedade de Obstetrícia e Ginecologia do Paraná (SOGIPA). A revisão, que hora se apresenta, passou ainda por consulta no Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Paraná (COSEMS/PR) e Comissão de Saúde da Mulher do Conselho Estadual de Saúde do Paraná (CES/PR)

 


Carteira da Gestante

 

A carteira da gestante é o principal instrumento de registro do Pré-Natal. 

Faz parte da Linha de Cuidado Integral à Saúde da Mulher e Atenção Materno Infantil, a ser utilizada pelos profissionais e pela própria gestante.

Nela serão anotadas todas as informações sobre a gestação, parto e também sobre o bebê.

A nova versão contém também um espaço destinado ao preenchimento do plano de parto pela gestante, onde a mesma poderá registrar suas preferências durante a assistência ao parto, nascimento e cuidados com o seu bebê.

 

Carteira da Gestante


Estratificação de Risco da Gestação

A Estratificação de Risco da Gestação configura-se como uma das ferramentas mais importantes da Linha de Cuidado Materno Infantil.
A redução da mortalidade materno-infantil em especial a materna são resultados de diversas ações, tais como: a organização dos processos de atenção, o acolhimento precoce das gestantes no pré-natal, a estratificação de risco e a vinculação da gestante conforme estratificação de risco ao hospital mais adequado para atender o seu parto, bem como o processo de capacitação dos profissionais de saúde.
Destaca-se que a Estratificação de Risco compõe os demais instrumentos de assistência e gestão, tais como Linha Guia Materno Infantil e pactuações /programações vigentes da Atenção Primária à Saúde (APS), Atenção Ambulatorial Especializada (AAE) e Atenção Hospitalar (AH).

 

ESTRATIFICAÇÃO DE RISCO DA GESTAÇÃO
Aprovada na CIB/PR em 24/02/2021

 


Estratificação de Risco da Criança

 

A estratificação de risco, segundo a Linha Guia Materno Infantil - Criança, estabelece critérios para garantir o cuidado as crianças com maior probabilidade de adoecer e morrer. A identificação dos Recém-nascido (RN) de risco habitual, intermediário e de alto risco ao nascer possibilita oferecer cuidados diferenciados para essas crianças.

Os critérios da estratificação devem ser reavaliados de forma contínua e dinâmica, durante o acompanhamento da criança até completar o 2° ano de vida, porque as crianças podem ter evolução que permita mudança de risco.

Os riscos ao nascer identificados de cada criança devem ser definidos na alta da maternidade e na visita domiciliar pela busca ativa dos RN, de acordo com características individuais e socioeconômicas materna (idade, raça/cor, escolaridade, condições sociodemográficas), antecedentes pré-natais, perinatais e neonatais. Além da estratificação ao nascer, salientamos que a estratificação de risco das crianças de 1 a 24 meses deve ser atualizada a cada consulta.

O acompanhamento da criança deve ser realizado pela Atenção Primaria à Saúde (APS), podendo ser de forma exclusiva ou compartilhada com a Atenção Ambulatorial Especializada (AAE), quando for necessário esse tipo de acompanhamento.

 

ESTRATIFICAÇÃO DE RISCO DE CRIANÇAS NO PARANÁ
Aprovada na CIB/PR em 28/04/2021

 


Linha Guia Materno Infantil

 

Linha Guia Atenção Materno Infantil - Vol. I - Gestação. 8ª edição. E-book

 


1° Seminário de Atualização da Linha de Cuidado Materno Infantil

**Todas as publicações foram autorizadas pelos autores**


 

Atenção à Saúde da Criança

 

Cadernos de atenção