Vacinas

A Divisão de Vigilância do Programa de Imunização (DVVPI) segue as diretrizes do Programa Nacional de Imunização (PNI), sendo todas as atividades de vacinação voltadas para toda a população paranaense, disponibilizando imunobiológicos para todas as faixas etárias, conforme definido no Calendário Nacional de Imunização do PNI, o que exige o desenvolvimento de estratégias específicas para atingir as coberturas de vacinação desejáveis, buscando o controle das doenças imunopreviníveis em todo o território paranaense.

Confira o calendário nacional de vacinação

 
Série histórica de coberturas vacinais
 
Rede de Frio

No decorrer de 44 anos de muitos avanços na Rede de Frio de imunobiológicos, no âmbito do Programa Nacional de Imunizações (PNI), diversas publicações foram produzidas para orientação da Rede, sendo foco toda a complexidade da Rede de Frio, que se atualiza e expande continuamente. O objetivo é estabelecer referencial teórico e operacional capaz de fomentar o mínimo de unidade de procedimentos, fundamental para garantir um dos aspectos mais importantes na qualidade e segurança dos imunobiológicos disponibilizados pelo PNI, desde o laboratório produtor até o momento em que o produto é ofertado à população brasileira, na sala de imunização e nos Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais (Crie), ou ainda em operações de campo.

Conheça o novo Manual da Rede de Frio.

 
Crie - Centro de Referência Imunobiológicos Especiais
 
Indicações para o uso de imunobiológicos especiais para os CRIEs
 
Vacina de poliovírus inativado (Salk)
  • Crianças com imunodeficiência (congênita ou adquirida), não vacinadas ou que receberam esquema incompleto de vacinação contra a poliomielite
  • Crianças que estejam em contato domiciliar com pessoa imunodeficiente e suscetível e que necessitem receber vacina contra a poliomielite
  • Transplantados de medula óssea
 
Vacina antipneumocócica 23
  • Crianças com 2 anos de idade ou mais e adultos, basicamente imunocompetentes, com doença pulmonar ou cardiovascular crônica grave, insuficiência renal crônica, síndrome nefrótica, diabetes mellitus insulinodependente, cirrose hepática, fístula liquórica
  • Crianças com 2 anos de idade ou mais e adultos, com asplenia anatômica ou funcional, hemoglobinopatias,imunodeficiência congênita ou adquirida, pessoas HIV+ e doentes com AIDS
  • NOTA: Nos casos de esplenectomia eletiva, a vacina deve ser aplicada pelo menos 2 semanas antes da cirurgia. Da mesma forma, o intervalo entre a vacinação e o início da quimioterapia deve ser de pelo menos duas semanas
 
Vacina contra hepatite B
  • Comunicantes domiciliares de portador de HBsAg+ ou de doente com hepatite B crônico
  • Pessoas HIV+ ou imunocomprometidos
  • Transplantados
  • Pacientes em uso de hemodiálise
  • Pacientes com risco de transfusões múltiplas em virtude de doença hematológica
  • Doadores regulares de sangue
 
Vacina contra Haemophilus influenzae b
  • Crianças com mais de 12 meses e menores de 5 anos, com doença pulmonar ou cardíaca crônica grave;
  • Crianças com 12 meses ou mais e com menos de 18 anos, sendo:
    • imunocomprometidas inclusive as com infecção assintomática 
  • Pelo HIV
    • antes da esplenectomia eletiva
    • asplenia anatômica ou funcional e hemoglobinopatias
  • Transplantados de medula óssea com qualquer idade.
  • NOTA: No caso de esplectomia eletiva, a vacina deve ser aplicada pelo menos 2 semanas antes da cirurgia.
 
Vacina DTP acelular
  • Eventos adversos graves, após a aplicação da DTP nos casos de convulsão nas primeiras 72 horas após vacinação, síndrome hipotônica hiporresponsiva observada nas primeiras 48 horas após vacinação; exceto encefalopatia e anafilaxia.
 
Vacina antipneumocócica conjugada 7-valent
  • A partir dos 2 meses de idade até 23 meses: para crianças basicamente imunocompetentes, com doença pulmonar ou cardiovascular crônicas graves, insuficiência renal crônica, síndrome nefrótica, diabetes mellitus, cirrose hepática, fístula liquórica,asplenia congênita ou adquirida, hemoglobinopatias, imunodeficiência congênita ou adquirida, crianças HIV positivo assintomáticas e com AIDS.
 
Vacina contra varicela
  • Imunocomprometidos, nas indicações de literatura: leucemia linfocítica aguda e tumores sólidos malignos em remissão (pelo menos 12 meses), desde que apresentem 1.200 linfócitos/mm3 ou mais, sem radioterapia; caso estejam em quimioterapia, suspendê-la 7 dias antes e 7 dias após a vacinação
  •  Profissionais de saúde, pessoas e familiares suscetíveis à doença e imunocompetentes que estejam em convívio domiciliar ou hospitalar com imunocomprometidos
  • Pessoas suscetíveis à doença que serão submetidas a transplantes de órgãos sólidos, pelo menos 3 semanas antes do ato cirúrgico
  • Pessoas suscetíveis à doença e imunocompetentes, no momento da internação em enfermaria onde haja caso de varicela
  • Vacinação antes da quimioterapia, em protocolos de pesquisa
  • HIV+ assintomáticos ou oligossintomáticos
 
Vacina contra hepatite A
  • Hepatopatas crônicos suscetíveis para hepatite A.
 
Vacina contra influenza
  • Adultos e crianças com 6 meses de idade ou mais , com doença pulmonar ou cardiovascular crônica grave, insuficiência renal crônica, diabetes mellitus insulino-dependente, cirrose hepática, hemoglobinopatias
  • Adultos e crianças com 6 meses de idade ou mais, imunocomprometidos ou HIV+
  • Profissionais de saúde e familiares que estejam em contato com os pacientes mencionados anteriormente
  • Pacientes submetidos a transplantes
 
Vacina antimeningocócica conjugada grupo C
  • A partir dos 2 meses de idade, nos portadores de :
    • Asplenia congênita ou adquirida
    • Deficiências do Complemento
    • Anemia Falciforme e Talassemia
    • Esplenectomizados
 
Vacina pentavalente
  • Crianças a partir dos partir dos 2 meses de idade até 11 meses e 29 dias, que apresentam discrasias sanguíneas
 
Imunoglobulina humana anti-hepatite B + Vacina
  • Exposição sanguínea acidental, percutânea ou de mucosa, quando o caso índice for HBsAg+ ou de alto risco, e o profissional de saúde não imunizado contra hepatite B
  • Comunicantes sexuais de caso agudo de hepatite B (administrar até 14 dias após o contato)
  • Recém-nascido de mãe HBsAg+
  • Recém-nascido de mãe simultaneamente HbsAg+ e HIV+
  • Recém-nascido com peso menor ou igual a 2000g ou com 34 ou menos semanas de gestação, cuja mãe seja HBsAg+
  • Vítima de abuso sexual.
 
Imunoglobulina humana antitetânica
  • Pessoas que tiveram teste de sensibilidade ao SAT positivo
  • Pessoas que já tenham tido reação de hipersensibilidade após haverem recebido qualquer soro heterólogo
 
Imunoglobulina humana antivaricela-zóster
  • Grupos de pessoas suscetíveis que tiveram contato significativo com varicela
  • Crianças e adultos imunocomprometidos
  • Gestantes
  • Recém-nascidos de mães nas quais a varicela surgiu nos últimos 5 dias de gestação ou até 48 horas depois do parto
  • Recém-nascidos prematuros com 28 semanas de gestação ou mais, cuja mãe não teve varicela
  • Recém-nascidos prematuros menor de 28 semanas de gestação (ou com menos de 1000g ao nascimento), independente de história materna de varicela
 
Imunoglobulina humana antirrábica
  • Pessoas cujo teste de sensibilidade ao SAR foi positivo
  • Alternativamente, pessoas que devem receber o soro anti-rábico, cujo teste de sensibilidade ao soro foi positivo e que durante o processo de dessensibilização com o soro apresentaram reações de hipersensibilidade
  • Pessoas que já tenham tido reações de hipersensibilidade após haverem recebido qualquer soro heterólogo

 

 
Endereços

CRIE em Curitiba:
Rua Barão do Rio Branco Esq. com André de Barros, 465
CEP:80010-180, Bairro Centro
Fone: (41) 3304-7537
Fax: (41) 3223-1028

CRIE em Londrina:
Hospital de Clínicas
Rodovia Celso Garcia Cid, s/nº
PR 445 km 380
Caixa Postal 6001
CEP 86051-990
Fone: (43) 3328-3533
Fax: (43) 3371-5750

 

 
Legislação