Beto Preto fala sobre ações da dengue para mais de 10 mil alunos e colaboradores do Senac
21/01/2020 - 16:30

senac
As ações de combate à dengue mobilizam diversos setores do Governo e contam com o apoio de entidades representativas. A importância do envolvimento da população na eliminação dos criadouros foi um dos temas da palestra do secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, nesta terça-feira (21), na sede do Senac, em Curitiba.


Em videoconferência para mais de 30 unidades, cujo alcance foi de cerca de 10 mil pessoas, que contou também com adesão de colaboradores do Sesc, os alunos dos cursos técnicos de saúde receberam orientações sobre os perigos da doença e formas de prevenção.

“Temos que falar com as pessoas em todos os lugares e ocasiões sobre o problema da dengue. É muito importante que a gente consiga eliminar os focos e por isso a participação e o engajamento de todos os paranaenses é essencial neste momento. A nossa mensagem precisa tocar corações e mentes e temos feito isso, levado orientação e informação permanentes”, disse Beto Preto.

O secretário ressaltou a missão determinada pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior e pelo vice-governador Darci Piana em mobilizar todos os setores da sociedade. “Estamos falando de uma doença que podemos prevenir. É na mobilização técnica, de campo, com um olhar diferenciado sobre possíveis focos, que vamos superar este cenário. Não estamos falando apenas de um bota-fora de utensílios. Precisamos esmiuçar qualquer local onde pode ter água parada”, ressaltou.

Trabalho de campo – Além de chamar atenção sobre o preocupante cenário de epidemia em 24 municípios paranaenses, Beto Preto destacou ainda que os resultados de mutirões em localidades mais críticas têm ajudado a diminuir os índices de infestação.

“Temos atuado fortemente, com a equipe do Estado, dos municípios e isso tem reduzido o foco em algumas cidades. Mas não podemos com isso achar que o problema está resolvido. Muito pelo contrário. Temos que continuar com os arrastões, porque somente assim teremos resultados positivos nesta verdadeira guerra”, reiterou.

As características e hábitos do mosquito da dengue também foram apresentados no encontro, a exemplo da capacidade de autonomia de deslocamento de até cinco quilômetros, a possibilidade de reprodução em água suja e voo em silêncio.

“O mosquito tem um jeito muito próprio e por isso mesmo temos que saber exatamente como ele se comporta. Inclusive é resiste a produtos químicos. Por isso mesmo, a melhor forma de combate é a eliminação de criadouros”, ressaltou a coordenadora de Vigilância Ambiental da Secretaria de Estado da Saúde, Ivana Belmonte.

GALERIA DE IMAGENS