Índice da mortalidade materna melhora no segundo quadrimestre, aponta relatório apresentado na Assembleia
01/10/2019 - 18:20

RDQA Alep
O Estado do Paraná já destinou 12,11% da receita em ações de saúde, conforme apurado preliminarmente até 30 de setembro, faltando ainda três meses para o final da execução orçamentária de 2019. Os números foram apresentados para a Comissão de Saúde Pública da Assembleia Legislativa nesta terça-feira (1º), durante audiência pública de prestação de contas do segundo quadrimestre deste ano. Neste período, no entanto, de janeiro até agosto, cerca de R$ 2,530 bilhões já foram aplicados, equivalente a 11,17% da receita.

Dentre algumas ações desencadeadas, o processo contínuo de verificação de risco materno foi um dos elementos de maior atenção da gestão, o chamado Near Miss Materno. Na comparação do primeiro quadrimestre de 2019 para o segundo, houve uma diminuição de ocorrências em 14,33% em relação à meta, passando de 44,70 para 35,36 de cada 100 mil nascimentos. No acumulado do ano foram 40,43 no coeficiente.

Segundo apontou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, ainda existem desafios a serem superados e a intensificação das ações do governo no atendimento materno têm recebido atenção especial da gestão. O trabalho estrutural e financeiro vem sendo feito de forma prioritária, representando um investimento de R$ 46 milhões na Rede Mãe Paranaense nestes oito meses.
“Estamos trabalhando muito para fortalecer a atenção e a rede materna. Já conseguimos diminuir um cenário negativo, reduzindo quantidade de mortes, conforme a meta estabelecida. Mas evidentemente que este é um tema de total cuidado e vamos ampliar ainda mais as ações”, ressaltou o secretário.

Os dados apontam também uma série de investimentos em hospitais, o fortalecimento dos consórcios intermunicipais de saúde e no atendimento da Rede de Urgência, com o aporte de R$ 137 milhões, destinados ao programa Hospsus, de apoio hospitalar e do transporte de urgência e emergência, além de ampla ação de descentralização e regionalização da saúde.
Para a assistência farmacêutica, o repasse chegou a R$ 104 milhões. A finalização das obras dos hospitais regionais de Guarapuava, Telêmaco Borba e Ivaiporã também foram destacadas na prestação de contas, assim como o direcionamento de recursos para equipamentos e custeio a partir de 2020.

“Na apresentação pudemos demonstrar que estamos cumprindo com a exigência legal dos 12%, ultrapassando obstáculos e contornando as situações da melhor maneira possível para continuar fazendo a diferença na saúde pública paranaense, sempre levando em consideração a regionalização que propõe diminuir distâncias entre o paciente e o serviço público de saúde, conforme determinação do governador Ratinho Junior”, disse ainda o secretário.

O diretor-geral da Sesa, Nestor Werner Júnior, apresentou ainda os indicadores das 19 Diretrizes do Plano Estadual de Saúde 2016-2019 e da Programação Anual de Saúde 2019.

Participaram os deputados Dr. Batista, presidente da Comissão de Saúde Pública da Alep, os deputados Arilson Chiorato, Evandro Araújo, Luciana Rafagnin, Márcio Pacheco, Homero Marquese e Ricardo Arruda.

GALERIA DE IMAGENS