Oficina de Prioridades em Pesquisas busca melhorar SUS no Paraná
16/10/2019 - 14:10

ppsus
Pesquisadores e profissionais de saúde de todo o Estado estão reunidos na Escola de Saúde Pública do Paraná (ESPP), em Curitiba nesta quarta-feira (16), para definir as linhas de pesquisa e propor projetos que possam ser incorporados de forma efetiva pelo Programa de Pesquisa para o Sistema Único de Saúde (PPSUS). A 8ª Oficina Estadual de Prioridades em Pesquisas para o SUS é uma parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde do Paraná (Sesa), Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FA), Ministério da Saúde (MS) por meio do Departamento de Ciência e Tecnologia (Decit) e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico (CNPq).

O objetivo da oficina é definir temas que necessitem de pesquisa dentro dos cinco eixos temáticos propostos pela Sesa (saúde materno infantil; doenças crônicas não transmissíveis; desenvolvimento de tecnologia e inovação em saúde; avaliação pós incorporação e economia e gestão em saúde), que servirão para as discussões e encaminhamento dos assuntos que integrarão a próxima Chamada Pública PPSUS para a utilização de recursos públicos para a pesquisa dentro da área no Estado. No encontro, além da apresentação de projetos, grupos formados pelos pesquisadores e autoridades da área debateram a aplicabilidade dos trabalhos no dia a dia da saúde.

“Os professores e pesquisadores estão engajados para encontrar soluções e definições de prioridades para pesquisa que venham ao encontro às necessidades e problemas que vivemos em relação à organização e funcionamento do SUS no Paraná. É de extrema importância que esse evento aconteça e que saia o edital que de fato atenda as necessidades de saúde da nossa população”, comentou a diretora de atenção e vigilância em saúde da Sesa, Maria Goretti David Lopes que realizou a abertura da oficina representando o secretário de saúde Beto Preto.

Segundo Nilceu Jacob Deitos, que atua na gerência de projetos da Fundação Araucária, a oficina é uma proposta importante para o Estado na área da saúde, pois já aprovou 296 projetos desde sua primeira edição. “Nossa gestão tende a olhar para a ciência e a inovação de uma maneira mais articulada e inovadora, então é fundamental que não se perca a continuidade das boas ações e iniciativas que o meio acadêmico aguarda enquanto fomento”, disse.

Marge Tenório, coordenadora nacional do PPSUS, falou sobre os métodos utilizados para seleção de prioridades e encaminhamentos dos trabalhos que deverão ser apresentados até o final do dia. “Desejamos que cada um desenvolva sua pesquisa direcionando para os agravos citados dentro dos eixos temáticos propostos pela Sesa. A partir desse momento, os grupos em conjunto irão definir quais serão as linhas de pesquisa que serão encaminhadas para a Chamada Pública” explicou.

PRESENÇAS – Estiveram presentes na ocasião, a assessora da Diretoria de Ciência, Tecnologia e Inovação da Fundação Araucária, Priscila Antunes Tsupal, José Eloy dos Santos e Leonardo Machado, assessores técnicos do PPSUS, profissionais da saúde e técnicos de saúde da Sesa, além dos 59 inscritos presentes.