Relatório do Planejamento Regional Integrado aponta demandas da saúde
11/12/2019 - 19:10

PRI_nestor
A partir de um processo participativo, democrático e acessível, o Planejamento Regional Integrado (PRI) foi construído durante o ano de 2019. Desde fevereiro equipes da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) percorreram o Estado realizando oficinas e reuniões para identificar as necessidades da área da saúde de forma regionalizada.

Atuar de forma regionalizada e eficiente em tempo e financiamento é uma das propostas do Governo do Estado. Alinhado a essa diretriz, o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto, fortaleceu a proposta de escutar e integrar os representantes das secretarias Municipais e Regionais de Saúde.

O secretário acredita que o PRI é o caminho ideal para identificar onde e o que é preciso criar e ampliar na saúde do Paraná. “Com essa ação ascendente queremos saber como está o serviço ofertado para a população. O que falta e o que podemos remanejar ou planejar para frente. Pensamos sempre em oferecer mais com menos, para chegar à eficiência financeira e operacional que buscamos no governo Ratinho Júnior.”

Foram realizadas mais de 20 oficinas, envolvendo mais de 600 pessoas entre técnicos municipais, estaduais, dos consórcios de saúde, assim como os prestadores e fornecedores da Secretaria de Saúde. O diretor-geral da secretaria, Nestor Werner Junior, falou sobre o trabalho realizado nesses dez meses. “Descobrimos situações que não imaginávamos, derrubamos dogmas, temos agora o respaldo de quem está lá na ponta, quem entende e percebe o que é necessário. Não é a decisão tomada por uma ou duas pessoas em uma sala que vai decidir o que vai acontecer com a saúde dos paranaenses”, explicou.

Werner destacou ainda o apoio do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Paraná (Cosems-PR) para a realização do PRI. “O Cosems, na pessoa do presidente Carlos Andrade, foi de extrema importância porque nos aproximou dos secretários municipais, nos apoiou e participou junto conosco desse percurso”.

O presidente do Cosems, Carlos Andrade, que também é secretário de saúde do município de Araucária, comentou que o processo de construção do PRI foi bastante democrático. “As equipes da Sesa ouviram todos, ouviram municípios grandes e pequenos, de forma ascendente que envolveu todos os técnicos das áreas. Foi democrático e que construiu uma proposta de acordo com os anseios dos gestores” relatou Andrade.

As prioridades sanitárias serão úteis também para a elaboração do Plano Estadual de Saúde, que norteará de forma ampla as ações da saúde para o período de 2020 a 2023. O diretor da Sesa indica que além do processo de construção ter ocorrido de forma diferenciada, a forma de utilização do documento também será diferente de outros anos. “Esse processo todo consolidado não vai ser um documento de gaveta. Nós estamos em um momento diferente, por isso o processo envolveu tantas instituições, tantas pessoas e tanto trabalho”.

O relatório do Planejamento Regional Integrado foi apresentado na tarde desta quarta-feira (11) no Palácio Iguaçu para representantes municipais, do Estado, dos consórcios e de parceiros na área da saúde. No dia 19 de dezembro a Sesa apresentará o Plano Estadual de Saúde para o Conselho Estadual de Saúde.