Sesa promove capacitação sobre prevenção de sequelas da Hanseníase
31/10/2019 - 09:30

hanseniase

A Secretaria Estadual da Saúde promove nesta semana Capacitação para Prevenção de Incapacidades em Hanseníase. O evento que é dirigido para profissionais que atuam na Atenção Primária, acontece em parceira com o Ministério da Saúde e Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba. Começou no dia 29 de outubro e segue até amanhã,  01 de novembro.

 

Hoje (31), os participantes terão aulas no Centro Especializado Dr. Germano Traple, que é referência para o tratamento da doença, localizado no município de Piraquara. O objetivo é diminuir as sequelas incapacitantes provocadas pela hanseníase. 

Cerca de 14% dos pacientes diagnosticados com hanseníase sofrem sequelas que impedem atividades básicas como caminhar, pegar e segurar objetos, além de danos à visão.

“Estas sequelas podem se agravar e demandam cuidados de média e alta complexidade, por isso a importância da capacitação e atualização dos profissionais, que precisam estar atentos ao acolhimento, diagnóstico e tratamento dos doentes”, afirma a coordenadora da Vigilância Epidemilógica da SESA, Acácia Nasr.

Os principais sintomas são: sensação de formigamento, fisgadas ou dormência nos braços, mãos, pernas e pés; manchas na pele em qualquer parte do corpo com alteração de sensibilidade , aparecimento de caroços ou inchaço nas partes chamadas de frias do corpo como orelhas e costas e  diminuição de força muscular. 

O Programa Estadual de Hanseníase busca chamar a atenção para o aparecimento destes sinais, que por muitas vezes passam despercebidos mesmo pelos profissionais de saúde. “É importante reconhecer a doença imediatamente e iniciar o tratamento para cessar a possível transmissão; é preciso também investigar  e examinar os familiares e pessoas mais próximas. O tratamento é feito com medicamento fornecido em todas as unidades de saúde e quanto mais cedo for iniciado, mais chances de se evitar incapacidades e perda de funções”, explica a chefe da divisão de IST/Aids/Hepatites/Tuberculose e Hanseníase da Sesa, Mara Carmen Franzoloso. 

Hoje são 931 doentes em tratamento no Paraná.