Vigilância Ambiental

A implantação da Vigilância Ambiental em Saúde tem se apresentado como um novo modelo de atenção, capaz de implementar avanços nas ações de promoção e de proteção à saúde da população, através do monitoramento e do controle de problemas decorrentes do desequilíbrio do Meio Ambiente, relacionando-os de forma que se busque o planejamento e o desenvolvimento de ações para eliminar ou reduzir a exposição humana a esses fatores prejudiciais à saúde.

A principal missão é avaliar as questões relacionadas ao Meio Ambiente visando associar as alterações negativas que podem repercutir direta ou indiretamente sobre a Saúde Humana. Desta forma é importante a busca pelo correto gerenciamento dos fatores de risco relacionados à saúde como parte integrante das ações de Vigilância em Saúde.

Achatina fulica

Aranha-marrom

Dengue

Febre amarela

Leptospirose

Malária

Zoonoses e intoxicação

 

 
Ação sobre o meio
 
Departamento de Vigilância Ambiental - Deva

Departamento de Vigilância Ambiental em Saúde – Deva – Natal Jataí de Camargo

  • Divisão de Doenças Transmitidas por Vetores – DVDTV – Márcia Suely Gil Aldenucci
  • Divisão de Vigilância de Zoonoses e Intoxicações – DVVZI – Giselia Burigo Guimarães
  • Divisão de Vigilância sobre o Meio – DVVSM- José Luis Nishihara Pinto
Organograma SVS
 
Divisão de Vigilância sobre o Meio - DVVSM

A Divisão de Vigilância sobre o Meio - DVVSM conta com uma equipe técnica de 7 profissionais de nível superior, inserida na Superintendência de Vigilância em Saúde – SVS e mais especificamente dentro do Departamento de Vigilância Ambiental - Deva.

A instrução normativa nº 1 , de 7 de março de 200, regulamentou o Subsistema Nacional de Vigilância em Saúde Ambiental – SINVSA que atribui ao SUS a coordenação, avaliação, planejamento, acompanhamento, inspeção e supervisão das ações de Vigilância relacionadas às doenças e agravos à saúde no que se refere a:

  • Água para consumo humano (Vigiagua)
  • Contaminações do ar (Vigiar)
  • Contaminações do solo (Vigisolo)
  • Desastres naturais (enchentes)
  • Contaminantes ambientais e substâncias químicas (Vigiquim)
  • Acidentes com produtos perigosos (Vigiapp)
  • Efeitos dos fatores físicos (Vigifis)
  • Condições saudáveis no ambiente de trabalho (Saúde do Trabalhador)

Endereço:

Rua Piquiri, 170 - 1° Andar – Bairro Rebouças - Curitiba/PR - CEP: 80.230-140
Coordenador: José Luiz Nishihara Pinto - e-mail: nishihara@sesa.pr.gov.pr - 41.3330-4469 ou 4468 ou 4494

 
Principais atribuições da DVVSM
  • Planejar, implantar, coordenar, monitorar, avaliar e supervisionar o desenvolvimento de Programas Estratégicos de Vigilância Ambiental no Estado do Paraná, através das suas 22 Regionais de Saúde e/ou municípios
  • Colaborar na construção de estratégias para estruturar e operacionalizar as ações específicas de Programas instituídos e propostos pela Secretaria Nacional de Vigilância em Saúde/Coordenação Geral de Vigilância Ambiental - CGVAM
  • Realizar inspeção na área de Vigilância Ambiental, em caráter complementar no nível regional e/ou municipal
  • Coordenar, gerenciar e analisar a implantação dos instrumentos de coleta e inclusão de dados para os Sistemas de Informações relacionados à Vigilância Ambiental (Sisagua e Sisolo)
  • Promover análise conjunta de outros indicadores de saúde (Monitoramento de Doenças Diarreicas Agudas - MDDA, hepatites virais e dengue), de forma a identificar fatores de risco para o desenvolvimento de estratégias de ações de prevenção e controle na área de Vigilância Ambiental
  • Promover a divulgação de informações da área de Vigilância Ambiental, no que diz respeito aos Indicadores de Saneamento, junto à sociedade civil, instituições de ensino e órgãos públicos
  • Promover integração junto à sociedade civil, instituições e órgãos públicos, buscando participação efetiva na proposição de estratégia institucional em Plano Estadual que visem harmonização das atividades de prevenção e resposta em situações de desastres, acidentes e situações de emergência (acidentes com produtos perigosos, enchentes, poluição das águas, preservação do meio ambiente)
  • Participar em grupos técnicos coordenados pela CGVAM/SVS/MS, com as Vigilâncias Ambientais das demais Unidades Federadas, para elaboração de normatização e implantação/implementação de Programas Nacionais
  • Participar de conselhos, comissões, comitês e grupos técnicos (Conselho Estadual de Saúde/Câmara Técnica de Vigilância Sanitária, Conselho Estadual de Recursos Hídricos, Conselho Estadual de Meio Ambiente / Agenda 21, Grupo Técnico Científico da Água, Coordenadoria Estadual de Defesa Civil)
  • Avaliar projetos de sistemas de tratamento de água em serviços de hemodiálise
  • Elaborar material educativo e de divulgação (folheto, cartilha, cartaz, banner, audiovisual, vídeo, filme), referente ao meio ambiente relacionado à Saúde Pública
  • Atuar em parceria com Rádio Saúde, em entrevistas e matérias relativas ao meio ambiente relacionado à Saúde Pública
 
Pisast - Painel de Informações em Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador

A Secretaria de Vigilância em Saúde está estruturando um Painel objetivando reunir, integrar e disponibilizar aos usuários (Gestor e Sociedade) dados e informações relacionadas a área da Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador para análise de situação em saúde.

 

 
Doença de chagas
 
Legislação
  • Nota informativa nº 9/2020 - recomendações para adequações das ações de vigilância e cuidado ao paciente com doença de chagas frente à situação epidemiológica da Covid-19
  • Nota técnica nº 36/2012 - orientações sobre vigilância entomológica e a utilização de inseticida de ação residual no controle de triatomíneos - vetores da doença de chagas
  • Portaria nº 3775

 

 
Doenças diarreicas
 
Gráfico 1
Gráfica 1 - Diarreia
 
Gráfico 2
Gráfico 2 - Diarreia
 
Gráfico 3
Gráfico 3 - Diarreia
 
Gráfico 4
Gráfico 4 - Diarreia
 
Gráfico 5
Gráfico 5 - Diarreia
 
Gráfico 6
Gráfico 6 - Diarreia
 
Gráfico 7
Gráfico 7 - Diarreia
 
Gráfico 8
Gráfico 8 - Diarreia
 
Gráfico 9
Gráfico 9 - Diarreia
 
Gráfico 10
Gráfico 10 - Diarreia

 

 
Febre maculosa
 
2019
 
2015
  • Nota 04/2015 - febre maculosa brasileira e outras riquetsioses

 

 
Leishmaniose
 
Leishmaniose visceral canina
  • Nota nº 03/2016 - dispões sobre as ações de vigilância e controle de leishmaniose visceral canina (LVC) no estado do Paraná
 
Leishmaniose visceral humana
 
Leishmaniose tegumentar americana
  • Nota nº 04/2018 - vigilância epidemiológica da leishmaniose tegumentar americana no estado do Paraná (LTA)

 

 
Publicações
 
 
Dengue

Instituído em 24 de julho de 2002
Ministério da Saúde/Fundação Nacional de Saúde

 
Hantavirose

Secretaria da Saúde do Paraná
Centro de Saúde Ambiental – Divisão de Zoonoses e Animais Peçonhentos.
Laboratório Central do Estado – Seção de Virologia.
6ª Regional de Saúde – União da Vitória.
7ª Regional de Saúde – Pato Branco.
Secretarias Municipais de Saúde:
6ª R.S. – Bituruna, General Carneiro e Cruz Machado.
7ª R.S. – Honório Serpa.
Hospital Regional Nossa Senhora Aparecida de União da Vitória

 
Leishmaniose

Ministério da Saúde
Fundação Nacional da Saúde

 
Malária

Manual para agentes comunitários de saúde e agentes de controle de endemias
Serie A. Normas e manuais técnicos
Ministério da Saúde
Secretarias de Políticas de Saúde
Fundação Nacional de Saúde

 
Tracoma

Ministério da Saúde
Fundação Nacional da Saúde

 

 
Outros documentos
 
2019
 
2018
 
2017
 
2015