5 de maio: Dia Mundial de Higienização das Mãos
05/05/2020 - 12:40

O dia mundial de higiene das mãos, comemorado todos os anos em 5 de maio, mobiliza pessoas em todo o mundo com o propósito de aumentar a adesão à higiene das mãos nos serviços de saúde, protegendo assim, tanto os pacientes quanto os profissionais de saúde contra as infecções.

A higiene das mãos (com preparação alcoólica 70% ou sabonete líquido e água) é uma das ações mais eficazes para redução da transmissão de microrganismos causadores de doenças infecciosas, incluindo a COVID-19. Assim, tanto os profissionais de saúde quanto a comunidade, por meio de uma medida simples como esta, podem desempenhar um importante papel na prevenção destas infecções.

O Secretário da Saúde, Beto Preto, fala sobre a importância deste hábito. “A higienização das mãos com produtos e técnicas corretas possibilita a prevenção da transmissão de muitos vírus causadores de doenças, como este da COVID-19 e também bactérias que desencadeiam outras patologias no organismo.”

A Sesa recomenda a higienização das mãos seguindo as orientações da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde. A Coordenadora de Vigilância Sanitária, Luciane Otaviano, reforça que a correta higienização das mãos é um hábito que promove a saúde. “Higienizar as mãos reduz significativamente a transmissão de microrganismos e diminui a incidência de infecções preveníveis, ampliando a segurança de pacientes, profissionais de saúde e da população em geral.”

DESAFIO DIÁRIO – Embora o hábito de higienização das mãos (com preparação alcoólica 70% ou sabonete líquido e água) não seja novo, inseri-lo na rotina diária é um desafio. “A maioria dos profissionais de saúde têm consciência dos riscos de contaminação e infecção associados ao trabalho e entendem os benefícios da adesão à higiene frequente das mãos, mas na rotina diária, em muitos momentos, esse hábito é negligenciado e por isso devemos ficar vigilantes para que essa prática seja constante.”, explica Beto Preto

“Sabemos ainda que a transmissão do novo coronavírus (SARS-CoV-2) se dá pelas gotículas de saliva, nem sempre percebidas visualmente, mas que podem ficar depositadas nas mãos, objetos e superfícies. Dessa forma, a higienização das mãos é um forte aliado para conter a transmissão do vírus causador da COVID-19,” comenta a coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Acácia Nasr.

PREVENÇÃO – A COVID-19 é a doença mais recente que tem como uma das principais ‘armas para a prevenção’ a higienização das mãos. Mas outras patologias, como a Influenza e a Sepse também podem ser prevenidas por meio da adesão a esta prática simples e rápida de ser executada por toda a população.

“Devemos lembrar que através das mãos contaminadas muito microrganismos são levados para dentro do nosso organismo, principalmente quando tocamos a mucosa da boca, nariz ou olhos.”, diz o secretário de Saúde.

INDICAÇÃO – Quanto à técnica, as mãos devem ser friccionadas com a preparação alcoólica 70%, por no mínimo 20 segundos. Ressalta-se que as mãos não podem estar visivelmente sujas, uma vez que a preparação alcoólica não remove sujidades. Já a higienização das mãos com sabonete líquido e água deve respeitar o tempo mínimo de 40 segundos, esfregando bem as palmas das mãos, entre os dedos e pulsos.

A OMS preconiza que o momento da higienização deve ser de acordo com o fluxo de cuidado, prevenindo a transmissão cruzada de microrganismos. Os cinco momentos para a higiene das mãos são: antes de tocar o paciente; antes de realizar procedimento limpo/asséptico; após o risco de exposição a fluidos corporais; após tocar o paciente e após tocar superfícies próximas ao paciente.

BENEFÍCIOS - Os efeitos benéficos da higienização das mãos também são válidos para outros cenários, principalmente aqueles com grande circulação de pessoas como escolas e creches, por exemplo.

 

GALERIA DE IMAGENS

Últimas Notícias