Capacitação sobre o Teste do Pezinho
27/06/2019 - 14:20

pezinho2
Como parte da programação do “Junho Lilás”, que destaca a importância do Teste do Pezinho, a Secretaria da Saúde do Paraná  promoveu nesta quarta-feira, capacitação para 50 profissionais que atuam nas regionais de saúde de Curitiba, Paranaguá e Ponta Grossa.

O Teste do Pezinho faz parte da triagem neonatal e é feito a partir do sangue coletado, preferencialmente, do pé do recém-nascido. Por meio dele, é possível detectar, de maneira efetiva, doenças genéticas ou congênitas que podem comprometer a saúde da criança.

A capacitação foi direcionada a profissionais de saúde que atuam diretamente com a população e que estão envolvidos com a coleta de material para o Teste do Pezinho. “O intuito deste encontro foi de ressaltar a importância do exame e da execução dos protocolos estabelecidos para coleta, armazenamento e envio de amostras para análise”, afirma a chefe da Divisão da Criança e do Adolescente da Sesa, Jessica Dinardi.

Segundo ela, todas as etapas do exame exigem técnica correta. “O profissional deve  estar atento à posição do bebê no momento da coleta e também ao processo de armazenamento, que prevê temperatura ideal e prazo para o envio das amostras. Quanto mais cedo o diagnóstico, mais chances de tratamento adequado”, explica Jéssica.

O Teste do Pezinho detecta doenças provocadas por disfunções e distúrbios do metabolismo - como Fenilcetonúria, Hipotireoidismo Congênito, Deficiência de Biotinidase, Hemoglobinopatias, Fibrose Cística. “Tratadas com antecedência, podem evitar quadros clínicos graves, com atraso do desenvolvimento neuropsicomotor e até o óbito”, afirma a chefe da Divisão da Criança e do Adolescente da Sesa.

FEPE – A capacitação foi realizada na FEPE - Fundação Ecumênica de Proteção ao Excepcional, que é o Serviço de Referência credenciado pela Sesa para análise laboratorial do Teste do Pezinho. Os participantes também fizeram visita aos setores do laboratório.

O Paraná é o único Estado que faz a coleta de sangue para o Teste do Pezinho ainda na maternidade, o que agiliza o diagnóstico para as doenças. “Além disso, a Secretaria Estadual da Saúde faz a logística de transporte das amostras para análise na Fepe e, posteriormente, o envio de resultados para as maternidades”, informa Mouseline Domingos, coordenadora do Serviço de Referência em Triagem do Paraná.

Últimas Notícias