Governo inicia em Ibiporã mutirão para acelerar cirurgias oftalmológicas no Paraná
12/05/2022 - 14:03

Cerca de 100 pacientes da cidade de Ibiporã, no Norte do Estado, que estão na fila de espera por uma cirurgia oftalmológica, foram atendidos nesta quinta-feira (12) pelo Comboio da Saúde, um mutirão promovido pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) para dar mais celeridade aos procedimentos para a retirada de catarata e pterígio. O mutirão é uma iniciativa à parte do programa Opera Paraná, que prevê a realização de 60 mil cirurgias eletivas neste ano no Estado, e recebe um investimento extra de R$ 10,3 milhões.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior acompanhou a ação no município, o primeiro a receber a carreta que vai percorrer diferentes cidades paranaenses para adiantar as consultas e exames pré-operatórios de pacientes que aguardam os procedimentos, dando andamento às cirurgias. Na ocasião, ele também anunciou o repasse de R$ 900 mil ao Hospital Cristo Rei para a aquisição de um tomógrafo.

“O Comboio da Saúde é uma iniciativa inédita no Estado e vai acelerar as cirurgias eletivas, principalmente de catarata, um problema que atinge especialmente a população mais idosa. Com a carreta percorrendo as cidades paranaenses, vamos dar uma velocidade muito maior a esses procedimentos”, disse o governador.

“A ação faz parte do escopo Opera Paraná, em que fazemos parcerias com hospitais filantrópicos e particulares que atendem pelo SUS, além dos públicos, para aumentar o número de cirurgias eletivas, que ficaram represadas por causa da pandemia. É o maior investimento do Estado nessa área”, salientou.

O secretário estadual da Saúde, César Neves, explicou que a estratégia amplia a abrangência e dá mais velocidade ao que já estava previsto no Opera Paraná. “As cirurgias de catarata e pterígio são muito voltadas à terceira idade. Com a melhora da expectativa de vida, as pessoas vivem cada vez mais, mas sem ter a visão, elas perdem a dignidade. Este é um programa de inclusão, para trazer dignidade às pessoas, principalmente as mais velhas”, afirmou.

FILA DE ESPERA – Em Ibiporã, 272 pacientes aguardam uma cirurgia de oftalmologia – 244 para catarata e 28 para pterígio. Em todo o Estado, cerca de 20 mil estão na fila para fazer esses procedimentos – 12.916 de catarata e 7.153 de pterígio. O Comboio da Saúde deve absorver quase um terço dessa demanda, com a realização de 5.881 procedimentos.

Por isso, profissionais de saúde estão na cidade para consultas médicas em atenção especializada, mapeamento da retina, tonometria, biometria ultrassônica (monocular), fundoscopia, microscopia especular de córnea e paquimetria ultrassônica, necessários para procedimentos de catarata; e consulta médica e biomicroscopia de fundo de olho para procedimentos de pterígio.

Os atendimentos são feitos na carreta de maneira descentralizada, facilitando o deslocamento do paciente e encaminhando os usuários para os procedimentos nos hospitais contratados.

Uma das pessoas que aguardam a cirurgia é a dona de casa Luzinete Alves de Oliveira, de 77 anos. Ela recebeu o diagnóstico em dezembro do ano passado, e se fosse operar no particular poderia gastar até R$ 30 mil. A previsão era aguardar até dois anos pelo SUS, mas agora a espera não deve chegar a seis meses. “Estou muito contente e feliz, agradeço muito por conseguir essa cirurgia de catarata. Não demorou muito tempo e, graças a Deus, já chegou a minha vez”, disse.

LOCAIS – Oito unidades hospitalares paranaenses, localizadas em Campo Largo, Cornélio Procópio, Jacarezinho, Irati, Londrina e Cascavel, se credenciaram em um edital da Sesa para adiantar as cirurgias de oftalmologia. Eles devem absorver a demanda de atendimento dos municípios de abrangência de suas respectivas regiões. Nas próximas semanas, a ação será replicada nos municípios de Jandaia do Sul, Cornélio Procópio, Ibaiti, Campo Largo, Arapoti e Telêmaco Borba.

OPERA PARANÁ – O Governo do Estado está destinando R$ 150 milhões para o Opera Paraná, com a previsão de fazer 60 mil cirurgias a mais no Estado neste ano, maior programa do governo na área.

O programa tem o objetivo de diminuir as filas de espera e parte da demanda reprimida por essas intervenções, que tiveram um acréscimo considerável durante a pandemia de Covid-19, com a paralisação de meses nos procedimentos não emergenciais.

Além disso, o Opera Paraná reforça a regionalização da Saúde, expandindo a oferta dos serviços e dando oportunidade de todos os hospitais, de pequeno a grande porte, a participarem da ação.

Entre as especialidades que serão atendidas estão ortopedia, cirurgia vascular, ginecológica, otorrinolaringologia, oftalmologia — exceto catarata e pterígio — e cirurgia geral.

TOMÓGRAFO – O tomógrafo que será adquirido pelo Hospital Cristo Rei com recursos do Governo do Estado vai garantir mais segurança nos procedimentos e diagnósticos realizados aos pacientes atendidos na unidade. Ele serve de referência para seis municípios – Ibiporã, Alvorada do Sul, Assaí, Jataizinho, Primeiro de Maio e Sertanópolis – que, juntos, têm cerca de 121,8 mil habitantes, de acordo a estimativa populacional do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE).

Com uma estrutura física de 4,2 mil metros quadrados, o hospital possui 103 leitos de internação, 63 destinados ao Sistema Único de Saúde (SUS). Atende na categoria de média complexidade, com atendimento secundário nas clínicas básicas de cardiologia, pediatria, ginecologia e obstetrícia, cirurgia geral, ortopedia e serviços diagnóstico de imagem (radiologia, ultrassonografia e futuramente, de tomografia), além de atendimentos de Urgência e Emergência.

A instituição integra o Comitê Gestor Regional de Urgência e Emergência, a Rede de Atenção Integral às Urgências do Paraná e a Rede Atendimento materno-infantil do Estado. É a porta de entrada na microrregião para prestar assistência de qualidade aos usuários do SUS nessas duas áreas.

GALERIA DE IMAGENS