Novembro Azul alerta para cuidados com a saúde integral do homem
01/11/2022 - 15:57

Segundo dados do Sistema de Informação em Saúde para a Atenção Básica (SISAB), no Paraná, entre janeiro e agosto deste ano, foram registrados 6.529.531 atendimentos na rede de Atenção Primária à Saúde (APS), destes, apenas 1.771.000 foram do sexo masculino, contra 4.758.531 atendimentos para as mulheres. Esses dados mostram que o público masculino é o que menos procura o serviço de saúde.

Com objetivo de mudar este cenário e incentivar a população sobre os cuidados com a saúde integral do homem, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) lança a campanha “Novembro Azul”, que traz como tema central “Homem, cuide da sua saúde de novembro a novembro”. Inicialmente, o foco do movimento internacional que estabeleceu o mês, era conscientizar sobre a prevenção e o diagnóstico precoce do câncer de próstata. Atualmente o alerta é para o cuidado de todas as outras doenças que afetam diretamente a saúde do homem.  

“É preocupante para a saúde pública o fato de que o homem, geralmente, costuma ser mais relapso com a própria saúde, buscando atendimento de forma tardia, um problema simples toma proporções mais sérias, causando além do agravamento da doença, maior sofrimento e menor possibilidade de cura, o que acaba gerando também um ônus muito maior para o SUS”, disse o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.

A Sesa segue a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem, que envolve promoção, proteção e prevenção em todas as áreas e serviços da rede pública. Essa política tem como base cinco eixos principais: acesso e acolhimento, sexualidade responsável e planejamento familiar, paternidade e cuidado, doenças prevalentes na população masculina e prevenção de violências e acidentes.

Além das ações já desenvolvidas pela Sesa, como o Programa Estadual de Controle do Tabagismo (PECT), o de Saúde Mental e o Programa Vida no Trânsito (PVT), há também o “Programa Saúde na Hora”, do Ministério da Saúde (MS), onde o objetivo é estender o horário de funcionamento das Unidades Básicas de Saúde (UBS) ampliando o acesso e a possibilidade dos usuários conseguirem atendimento. O Paraná conta com 136 UBS já funcionando com horário estendido e outras 90 aguardam credenciamento por parte do MS para adesão.   

“É muito importante que os homens procurem essas e outras unidades para que possam ser acolhidos e atendidos em todas as suas necessidades. As portas estão abertas e os profissionais de saúde preparados para cuidar cada vez mais dos homens, de novembro a novembro, ou seja, durante todo o ano”, explicou a diretora de Atenção e Vigilância à Saúde da Sesa, Maria Goretti David Lopes. 

Números – De acordo com dados preliminares registrados no Sistema de Informação sobre a Mortalidade (SIM), em 2021, no Paraná, os óbitos da população masculina entre 20 e 39 anos estão relacionadas com causas externas, principalmente os acidentes de trânsito e violência; entre homens de 40 a 79 anos, as doenças infecciosas e parasitárias tiveram grande destaque, principalmente porque sofreram influência das doenças causadas por vírus, como a pandemia da Covid-19; e a população de 80 anos ou mais tem como a principal causa de morte as doenças do aparelho circulatório, como infarto agudo do miocárdio, acidente vascular Cerebral (AVC) e hipertensão.

Câncer – O câncer está entre as quatro principais causas de morte prematura, de 30 a 69 anos, em todo o mundo. Para a população masculina do Paraná, estima-se que neste ano sejam 13.990 novos casos de câncer, exceto o câncer de pele não melanoma. O câncer mais acometido é o de próstata, com 3.560 novos casos, seguido do câncer de cólon e reto, com 1.250, e do câncer de traqueia, brônquios e pulmões, que somam 1.180 novos casos.

O número de internamentos em 2021 foi de 2.052 e 1.030 pacientes morreram por câncer de próstata no Estado.

Portaria – Em 2009 foi instituída a Portaria Federal nº 1944 no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem, visando promover a melhoria das condições de saúde a população masculina, a fim de reduzir a morbidade e mortalidade e organizar uma rede de atenção à saúde que garanta uma linha de cuidados integrais voltada para a população masculina.