Reta final das campanhas de vacinação contra a gripe e o sarampo
24/06/2020 - 17:05

As campanhas de vacinação contra a gripe e o sarampo seguem até o dia 30 deste mês, próxima terça-feira, e a Secretaria da Saúde do Paraná segue apoiando e participando de ações dirigidas para vacinar a população-alvo contra a duas doenças.

No último final de semana, o município de Campo Largo promoveu  a vacinação contra a Infuenza para adultos, gestantes e puérperas, em drive thru na escola Municipal Reino da Loucinha, e para as crianças, realizada em três unidades de saúde.

O município de Pato Branco também vacinou grupos prioritários contra a gripe, em drive thru realizado na feira do produtor, na segunda e terça-feira.

“Estamos a uma semana do encerramento das duas campanhas e recomendamos que as secretarias municipais promovam estas ações dirigidas, pois evitam a formação de filas e aglomerações em ambientes com pessoas doentes e internadas. As vacinas devem ser mantidas como forma de  proteção, mesmo com a pandemia”, afirmou o secretário da Saúde,  Beto Preto.

 A Sesa apoia também as atividades de vacinação contra o sarampo nas empresas privadas. “Neste momento, com aumento de casos da Covid-19 a prevenção se torna  mais fundamental ainda e por isso a Sesa tem levado as doses até estas empresas com maior concentração de colaboradores”, informou a chefe da Divisão do Programa de Imunização da Sesa, Vera Rita da Maia.

Públicos – Nesta etapa, a campanha de vacinação contra o sarampo tem como público alvo nesta etapa os jovens e adultos de 20 a 49 anos.

Já a campanha de vacinação contra a Influenza prioriza agora os adultos, gestantes, puérperas e crianças. A meta estipulada pelo Ministério da Saúde para cobertura vacinal é de 90% da população-alvo.

O Paraná apresenta hoje a taxa de 85,14% na vacinação contra a Influenza.  A campanha ainda não atingiu a meta de imunização para os grupos prioritários elencados nesta nesta fase.

Até o último levantamento, crianças apresentavam 57% de cobertura vacinal; gestantes, 54%; adultos 50,70% e puérperas, 68,07%. Todos esses grupos estão com coberturas vacinais abaixo da meta.

“Ressaltamos a importância de que todos os grupos estejam devidamente vacinados, com a finalidade de evitar as complicações, internações e óbitos em decorrência da influenza”, explica a enfermeira.

Últimas Notícias