Cuidando de quem cuida

Cuidando de quem cuida

 

(Este serviço é de acolhimento psicológico aos servidores e gestores da Sesa. Para denúncias registrar a manifestação por meio da Ouvidoria 0800 644 44 14.)

Saúde mental durante a pandemia

 

Ser afetado pelo trabalho é normal e esperado.

Em um contexto extraordinário como a pandemia é compreensível que nós profissionais sejamos impactados de diferentes formas ao lidar com situações inesperadas.

 

O cenário atual pode aumentar nosso estresse no trabalho de várias formas:

  ● Mudanças na rotina de trabalho: realocações, novas atividades/equipamentos, novos protocolos e fluxos de atendimento;

  ● Aumento da carga e do ritmo de trabalho;

  ● Desgaste das relações interpessoais devido ao contexto de alta pressão;

  ● Entre outros desafios.

 

E então; como está se sentindo?

Tem observado mudanças em si ou nos colegas? Sente cansaço além do que costumava sentir? Tem sentido vontade de chorar ou irritação? Sente-se muito sozinho? Consegue compartilhar o que está sentindo com colegas e familiares?

Situações excepcionais como a pandemia alteram nosso funcionamento. Mas às vezes precisamos de alguns cuidados para não adoecer também!

 

- Sentimentos de raiva, tristeza, culpa ou impotência;

- Irritabilidade/impaciência;- Ansiedade;

- Apatia e/ou perda de prazer ou interesse nas atividades;

- Mudanças de humor.

- Mudanças no sono (insônia, dificuldade para dormir ou dormir demais);

- Mudanças no apetite (comer em excesso ou falta de apetite);

- Exaustão;- Dores de cabeça;

- Dores no corpo.

- Dificuldades em se concentrar;

- Dificuldades em tomar decisões;

- Perda de memória;

- Preocupação excessiva, com pensamentos recorrentes sobre a epidemia e consequências;

- Dificuldade de se orientar no tempo e no espaço.

- Uso prejudicial de bebidas alcoólicas ou outras drogas;

- Agitação;

- Retraimento social;

- Aumento dos conflitos interpessoais.

 

Antes de tudo, é importante entender suas reações e seus limites, assim como dos colegas de trabalho, buscando ajuda quando necessário e permitindo-se receber apoio.

● Reconhecer e respeitar os limites e as reações de cada um, entendendo que as reações de estresse não são sinais de fraqueza ou de incapacidade de trabalhar. Portanto, não devemos nos culpar ou culpar os colegas por essas reações;

● Criar um ambiente de apoio coletivo, reconhecendo a dedicação e as capacidades de cada um;

● A epidemia é uma situação nova e imprevisível, mas a forma de lidar pode ser encontrada na sua história ocupacional: lembre como enfrentou outros desafios no trabalho, assim como o que te dá prazer na sua atividade e o que ela representa para você;

● Conhecer os protocolos e orientações do Ministério da Saúde e da Secretaria de Estado da Saúde é essencial para nos sentirmos mais seguros e menos ansiosos - consulte “Informações para profissionais” ao final da cartilha;

● A Ouvidoria Geral do SUS também está disponível para ouvir os servidores sobre situações relativas à COVID-19 pelo número 0800 644 4414 - opção 1 ou no (41) 99238-8559 (exclusivo para servidores).

● Manter a rotina, na medida do possível, com alimentação e descanso adequados - mas sem se cobrar demais!

● Praticar atividades que proporcionam prazer: atividades culturais, exercícios físicos, relaxamento, meditação, etc.

● Manter contato com sua rede de apoio (amigos, família, grupos), mesmo que virtualmente - compartilhe essa cartilha com as pessoas do seu convívio para que elas possam te compreender e apoiar, diminuindo o preconceito contra profissionais de saúde;

● Durante a pandemia, infelizmente alguns profissionais de saúde sofrem preconceito devido ao estigma do contágio. Caso você sinta ou perceba que as pessoas estão te evitando, entenda que é um aspecto do estresse do momento e irá passar. Fale sobre isso com quem confia ou busque nosso teleatendimento (0800 645 5558);

● Acessar informações de forma equilibrada, consultando fontes confiáveis e controlando o tempo dedicado a notícias, mídias e redes sociais, de forma a manter-se informado sem gerar muita ansiedade.

Falar de sua experiência pode ajudar – por isso incentivamos momentos de descontração e compartilhamento.

Caso você precise de ajuda ou perceba que alguém da sua equipe está com alguma dificuldade, a Secretaria de Saúde disponibiliza teleatendimento especialmente para prestar suporte psicológico aos servidores no telefone 0800 645 5558, das 8h às 17h, de segunda a sexta-feira. A ligação é anônima, gratuita e sigilosa.

Ministério da Saúde

(61) 99289-4640

https://coronavirus.saude.gov.br/

Teleatendimento estadual para dúvidas acerca da COVID-19

0800 644 4414 / Whatsapp: (41) 3330-4414

Central de Atendimento de Curitiba Teleconsulta para casos suspeitos de COVID-19

(41) 3350-9000

 

Ministério da Saúde

https://coronavirus.saude.gov.br/profissional-gestor

https://www.conasems.org.br/covid-19-protocolos-e-orientacoes-aos-profissionais-e-servicos-de-saude/

 

Fiocruz Brasília

Cartilhas de saúde mental e atenção psicossocial na pandemia COVID-19

https://www.fiocruzbrasilia.fiocruz.br

 

Secretaria de Estado da Saúde

Boletins, orientações e planos de contingência

http://www.saude.pr.gov.br/Pagina/Coronavirus-COVID-19

 

Rede de apoio psicológico a profissionais de saúde

https://www.rededeapoiopsicologico.org.br/

 

Rede de teleconsultoria em saúde, incluindo atendimentos, supervisão e orientação

https://sites.google.com/site/revirasaudecoletiva/home